sábado, 27 de maio de 2017

O livro que marcou a estreia de Augusto Cury no campo da literatura de fantasia

Augusto Cury, psiquiatra, psicoterapeuta, cientista e escritor brasileiro, publicou no Brasil em 2014 um livro que marcou a sua primeira incursão no campo da literatura de fantasia. Petrus Logus - O Guardião do Tempo, direcionado principalmente para os mais jovens, é finalmente publicado em Portugal no próximo dia 7 de Junho, numa edição a cargo da Editorial Presença. 
De referir que recentemente o autor - que estará de visita ao nosso país na próxima semana para ministrar duas palestras e participar na Feira do Livro de Lisboa - já publicou no Brasil um segundo volume da série a que este livro pertence, cujo título é Petrus Logus - Os Inimigos da Humanidade.
Texto sinóptico
Quando as fontes de água secaram, as terras tornaram-se inférteis e a violência invadiu o planeta, a Catástrofe aconteceu. Agora, cem anos depois, o mundo volta a reestruturar-se e novos povos começam a surgir. O Reino de Cosmus, liderado pelo poderoso rei Apolo, tornou-se um grande império. Apoiado pelos seus cruéis conselheiros, Apolo prega que o conhecimento foi o responsável pela destruição do mundo e proíbe o uso da tecnologia, o acesso às escolas e aos livros. Porém, apesar do seu poder, Apolo não consegue controlar um dos seus filhos, o príncipe Petrus, que, ao contrário do irmão Lexus, não está interessado no poder e na guerra. Petrus gosta de aprender, foi educado pelo sábio Malthus para ser um líder justo e generoso e sofre as consequências de ser uma mente livre. Condenado a usar a Máscara da Humilhação, que pune os maiores criminosos do reino, o jovem príncipe tem de sobreviver para realizar a sua grande missão e tentar mudar o rumo da História.

Livro reúne 60 perguntas a que a neurociência dá resposta

Depois de Portugal a Quente e Frio (2009) e Por Que Choramos Quando Cortamos Uma Cebola? (2012), as jornalistas Filomena Naves e Teresa Firmino publicam um novo livro sobre divulgação científica. Por que é que as Bailarinas Não Ficam com a Cabeça a Andar à Roda? já está à venda e tem o selo d'A Esfera dos Livros.

Texto de apresentação
Porque temos às vezes sensações de déjà vu? E por que é que há pessoas que ouvem sons às cores? Por que é tão difícil deixar de fumar? Ou o que é a inteligência? O elo comum a estas perguntas e a todas as que vai encontrar neste livro - e às respectivas respostas - é o nosso cérebro. É dele, dos seus cerca de 85 mil milhões de neurónios, mais de cem mil milhões de outras células e dos muitos biliões de conexões que se estabelecem entre elas, que emanam as explicações para todos os nossos comportamentos, gostos, humores e emoções.

Ou não fosse o cérebro a sede de tudo o que somos, percebemos, inventamos ou criamos. É sobre isso este livro: sobre essa complexidade que faz de nós o que somos, e que nos é desvendada pela ciência através dos muitos estudos feitos por neurocientistas de todo o mundo, incluindo de Portugal. As perguntas estão aí, com as suas respostas.

Em muitos casos, elas são ainda provisórias, incompletas, mas a ciência e o conhecimento são mesmo assim: nascem de um processo de construção permanente, que nunca está verdadeiramente terminado.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Romance histórico aborda rivalidade entre Leonardo da Vinci e Miguel Ângelo


Na próxima segunda-feira a Topseller publica Leonardo e Miguel Ângelo: Dois Génios Rivais, o primeiro romance da norte-americana Stephanie Storey, uma doutorada em História da Arte.

Texto se apresentação
No início do século XVI, Miguel Ângelo Buonarroti e Leonardo da Vinci viviam e trabalhavam em Florença. Quando se conheceram, Leonardo era um homem bem-parecido de 50 anos que se encontrava no auge da fama, enquanto Miguel Ângelo era um desmazelado escultor de 26 anos, desesperado por deixar o seu nome na História.

A rivalidade entre ambos tem início quando, em 1501, Miguel Ângelo consegue que lhe seja atribuída a si, e não ao grande mestre Leonardo, a encomenda para esculpir aquela que viria a ser a escultura mais famosa de todos os tempos: David.

Após perder tão ansiada obra, a vida de Leonardo começa a desmoronar-se. É então que conhece uma mulher por quem fica encantado e cujo retrato aceita pintar. O seu nome é Lisa, e tornar-se-á a sua musa.

Leonardo despreza a falta de sofisticação de Miguel Ângelo mas, ao mesmo tempo, admira-o. Por seu lado, este rejeita a genialidade de Leonardo tanto quanto a venera. Ambos tentam superar-se criando extraordinárias obras-primas. Ambos desejam a glória, mas qual será considerado o maior artista do seu tempo?

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Estão quase a aterrar nas livrarias três novos 'thrillers' psicológicos

Depois de As Raparigas Esquecidas e O Trilho da Morte, a escritora dinamarquesa Sara Blædel está de regresso com um novo romance de arrepiar: A Mulher Desaparecida.

A Salvo Comigo é o título de outro thriller psicológico de «leitura imparável e com um tom hitchcockiano», refere a nota editorial da Topseller. K. L. Slater, a autora, em poucos meses viu este seu romance de estreia, alcançar o topo das tabelas de vendas internacionais. Ambos estes livros chegam às livrarias a 29 de Maio.

Uns dias depois, a 9 de Junho, a Editora Bertrand publica Um Pequeno Favor, um thriller arrepiante, na linha de Em Parte Incerta e A Rapariga no Comboio. Este romance marca também a estreia da americana Darcey Bell, educadora de jardim de infância em Chicago, na literatura.

Em seguida, os textos sinópticos, para aguçar o apetite.
Num bairro familiar e acolhedor nos arredores de Londres, uma mulher foi alvo de um violento assassínio. Um tiro certeiro de uma caçadeira atravessou a janela da cozinha, onde ela se encontrava com o marido e a filha. A morte foi imediata.
Ao iniciar a investigação, a polícia local descobre que a mulher, de nome Sophie Parker, se tratava na verdade de uma cidadã dinamarquesa que se encontrava desaparecida há 18 anos. Louise Rick, chefe do Departamento de Pessoas Desaparecidas, fica responsável pelo caso. É então que novas e surpreendentes revelações desvendam que fora Eik, seu colega e amante, quem declarara o desaparecimento de Sophie.
Assim que é informado da morte de Sophie, Eik desaparece misteriosamente e, passadas 24 horas, é preso em Inglaterra e acusado de ser o responsável pelo crime.


Há treze anos, alguém destruiu a vida dela.
Agora, a vingança está ao seu alcance…
Anna é uma rapariga solitária que procura o equilíbrio na sua vida apoiando-se nas rotinas diárias. Não gosta de se aproximar das outras pessoas, pois conhece demasiado bem os danos que elas podem causar.
Até que, um dia, testemunha um acidente e reconhece a culpada: é Carla, a mulher que arruinou a sua vida no passado. Esta é a sua oportunidade de vingança. O primeiro passo é aproximar-se de Liam, o homem ferido no acidente, para poder seguir de perto a investigação policial.
Quando Carla também se aproxima de Liam, Anna percebe quais são as reais intenções de Carla: manipulá-lo… Mas ela não deixará que isso aconteça e tudo fará para proteger Liam e desmascarar esta impostora.
À medida que a obsessão de Anna por Carla se intensifica, outros segredos vão sendo revelados, mostrando que o perigo, afinal, pode vir de onde menos se espera.


Ela é a tua melhor amiga.
E conhece todos os teus segredos.
Por isso é tão perigosa.
A vida de uma mãe sozinha desmorona-se quando a sua melhor amiga desaparece.
Tudo começa com um pequeno favor, um gesto que as mães de bom grado fazem umas pelas outras. Quando Emily pede à melhor amiga que lhe apanhe o filho nas escola, Stephanie nem hesita. Tal como elas, os seus filhos são melhores amigos.
Stephanie é viúva e trabalha a partir de casa, no seu blog. Vivia uma vida solitária até conhecer Emily, uma sofisticada executiva com um trabalho muito exigente em Manhattan.
Só que Emily não regressa. Não atende o telefone nem responde aos sms da amiga. Stephanie sabe que aconteceu algo de terrível e, alarmada, recorre aos leitores do seu blog para pedir ajuda. Contacta também o marido de Stephanie, o belo Sean, para lhe dar apoio emocional. É o mínimo que pode fazer.
Acabam por receber notícias terríveis.
Mas serão verdadeiras? Stephanie não tarda a dar-se conta de que nada é tão simples como parece, nem sequer um pequeno favor.

terça-feira, 23 de maio de 2017

«O Caminho do Peregrino», o livro de ficção mais importante na história do cristianismo

O Caminho do Peregrino - Uma viagem espiritual, a obra mais importante do escritor e pregador inglês John Bunyan (1628-1688), é o livro que a Editora Alma dos Livros decidiu lançar no início do mês de Junho. O livro foi escrito nas duas temporadas em que o autor esteve preso em Londres, em 1678 e em 1684, acusado de partilhar publicamente as suas convicções religiosas (algo não permitido na época).
Em O Caminho do Peregrino - Uma viagem espiritual, uma alegoria da vida cristã, John Bunyan tenciona levar o leitor a refletir sobre como deve ser vigilante na vida terrena. Depois da Bíblia, este é considerado o livro mais vendido de sempre.

Texto sinóptico
O Caminho do Peregrino é a obra de ficção mais importante na história do cristianismo. Nenhum outro foi traduzido em tantos idiomas, teve tantas edições ou inspirou tantos milhões de leitores em todo o mundo. É o n.º 1 da lista «os melhores livros de sempre» do The Guardian. A obra descreve os passos de um peregrino através do caminho da vida e oferece uma profunda mensagem espiritual para aqueles que estão decididos a viver de um modo mais verdadeiro , em consonância com aquilo que trazem gravado no coração.

No decorrer da viagem, desde o instante em que decide deixar a sua antiga cidade e percorrer o caminho que o levará à cidade celestial, o peregrino encontra diferentes personagens e lugares, e estes representam cada uma das etapas que deve ultrapassar para alcançar o seu destino. Em cada encruzilhada, um novo desafio. Em cada vitória, uma nova responsabilidade. Uma incrível experiência humana e espiritual.

Para milhões de pessoas do mundo inteiro, O Caminho do Peregrino carrega uma mensagem de esperança e é um modelo ímpar da perseverança e do alento no meio das dificuldades da vida. É verdadeiramente inspirador e motiva a reflexão sobre aquilo que estamos dispostos a abandonar ou a guardar connosco quando decidimos seguir a nossa verdadeira vocação e o nosso coração.

Novos lançamentos das Edições Asa

Uma Mulher de Armas - Um mistério de Celine, de Peter Heller, e Filhas Exemplares, de Katherine Zoepf, são as grandes apostas das Edições Asa - uma das chancelas do Grupo LeYa - para este mês. Ambos estes livros de autores americanos encontram-se já disponíveis nas livrarias. Em seguida, os respectivos textos sinópticos.

Celine Watkins é uma mulher excêntrica. É aristocrática mas não vive num bairro elegante e sim na base da Ponte de Brooklyn. Tem gostos requintados e considera-se uma artista mas as suas esculturas são, no mínimo, sinistras. Já não é nova e tem um enfisema pulmonar mas recusa hábitos saudáveis. Adora joias com o mesmo ardor com que admira uma bela arma. Na verdade, a surpreendente Celine é detetive privada e possui dotes que ultrapassam até os do FBI. Motivada por segredos do seu próprio passado, é perita em localizar pessoas desaparecidas e em reunir famílias separadas.

A jovem Gabriela Lamont já não vê o pai há muitos anos. Fotógrafo de profissão, desapareceu algures na paisagem inóspita do parque nacional de Yellowstone. Foi oficialmente dado como morto, mas a história de que terá sido atacado por um urso não convence a filha. Tão-pouco convence Celine, que está fascinada pelo caso. A cada passo que dá, torna-se cada vez mais claro que alguém quer impedi-la de remexer no passado. Mas Celine não está habituada a renunciar a um mistério, principalmente este, que envolve uma família muito mais peculiar do que parecia...

Há apenas uma geração, a adolescência feminina - tal como a conhecemos no mundo ocidental - pura e simplesmente não existia nos países do Médio Oriente. Havia apenas crianças e mulheres casadas. Hoje em dia, a realidade é diferente. Há mais mulheres árabes do que homens a frequentar as universidades. Muitas delas têm até a coragem de sonhar com um casamento por amor, uma carreira e uma vida independente. As suas vozes parecem querer fazer-se ouvir. Mas a verdade é que não as ouvimos. O papel da mulher parece estar a mudar. Será que está? Não sabemos, pois as suas histórias não são contadas.
Katherine Zoepf decidiu acabar com o silêncio. Após mais de uma década de estudo, ajudou estas mulheres a encontrar a sua voz. Dos testes de virgindade aos casamentos forçados das vítimas de violação com o próprio violador, da violência da polícia religiosa feminina à desonra de não ter filhos varões, Filhas Exemplares constitui um vislumbre fascinante de uma sociedade em lenta mutação. Pois se a ameaça da tradição continua a pairar sobre todos, existem também cada vez mais mulheres notáveis que batalham na linha da frente para que, nas gerações futuras, tudo seja mais fácil.
São estas as vozes da mudança. São estas as suas histórias.


segunda-feira, 22 de maio de 2017

O tão esperado segundo romance da autora de «O Deus das Pequenas Coisas»

Vinte anos após o enorme sucesso internacional que foi O Deus das Pequenas Coisas, a escritora indiana Arundhati Roy, de 55 anos, publica o seu segundo romance: O Ministério da Felicidade Suprema (The Ministry of Utmost Happiness). O livro chega às livrarias portuguesas na primeira semana de Junho com a chancela das Edições Asa.
Texto sinóptico
Num cemitério da cidade, Anjum desenrola um tapete persa puído entre duas campas. Num passeio de betão surge um bebé, como que do nada, num leito de lixo. Num vale coberto de neve, um pai escreve à filha de cinco anos, falando-lhe do número de pessoas que estiveram presentes no seu funeral.

Num apartamento, sob o olhar atento de uma pequena coruja, uma mulher solitária alimenta uma osga até à morte. E, na Jannat Guest House, duas pessoas dormem abraçadas como se tivessem acabado de se conhecer.

Uma viagem íntima pelo subcontinente indiano, desde os bairros superlotados da Velha Deli e os centros comerciais reluzentes da nova metrópole às montanhas e os vales de Caxemira, com um elenco glorioso de personagens inesquecíveis, apanhadas pela maré da História, todas elas em busca de um porto seguro. Contada num sussurro, num grito, com lágrimas e gargalhadas, é uma história de amor e ao mesmo tempo uma provocação. Os seus heróis, presentes e defuntos, humanos e animais, são almas que o mundo quebrou e que o amor curou. E, por este motivo, nunca se renderão.
 

sábado, 20 de maio de 2017

Companhia das Letras é a nova editora de Alexandra Lucas Coelho

E a Noite Roda, obra que foi galardoada com o Grande Prémio de Novela e Romance da Associação Portuguesa de Escritores, chegou no dia 17 deste mês às livrarias numa nova edição a cargo da Companhia das Letras. Este romance de estreia de Alexandra Lucas Coelho, uma das mais premiadas jornalistas portuguesas, foi publicado pela primeira vez em 2012.

Texto sinóptico
«Afinal, esse amor, está onde?»
Ana e Léon conhecem-se em Jerusalém, na véspera da morte de Yasser Arafat. Ana é catalã, repórter e vive sozinha. Léon, também repórter, vive na Bélgica, com a mulher e os filhos. Juntos, calcorreiam Israel e os Territórios Palestinianos Ocupados: Gaza, Cisjordânia, Jerusalém Oriental.
Nesses dias de tumulto político, germina um romance intenso e carnal, vivido intermitentemente, pontuado por encontros na Europa — Paris, Mancha, Madrid, Roma, Catalunha — e regressando sempre ao lugar onde tudo começou. Os dois adivinham que o romance tem o tempo contado, mas não resistem a acrescentar-lhe dias. Anos mais tarde, em Damasco, pouco antes de rebentar a guerra síria, Ana conta-nos a história desse amor possível. Escreve «para acabar com a história», escreve «para que a história comece».

Outros livros da autora:
Romances: O meu amante de domingo e Deus-dará.
Livros de reportagem-crónica-viagem: Oriente próximo, Caderno afegão, Viva México, Tahrir e Vai, Brasil.