sábado, 14 de abril de 2012

A Arte de Viver, de Epicteto

Editora: Edições Sílabo
Ano de Publicação: 2010
Nº de Páginas: 80
O conjunto de textos proferidos por Epicteto (55-135 d.C.) que compõe este livro, foram compilados e editados por um dos seus discípulos, Flávio Arriano. O filósofo grego - que viveu grande parte da sua vida em Roma – nasceu na antiga Frígia (actual Turquia) e nos seus anos preliminares foi fiel servo de Epafrodito. Epicteto foi um escravo e acabou por se tornar um filósofo de renome da corrente do Estoicismo.
Como viver uma vida plena e feliz ou como ser uma pessoa com qualidades morais?
Para Epicteto a virtude é o único bem da vida e viver de acordo com a virtude significa viver conforme a natureza. Como Epicteto reflecte: «Infeliz é aquele que cai no que sempre evitou.» Ou ainda: «Se evitares a doença, a morte ou a miséria, serás infeliz.»
O objectivo deste livro é o de ensinar um caminho simples para a felicidade, propondo formas de viver a vida baseadas na ataraxia (paz de espírito) e apatheia (calma).
Este livro é constituído por 53 capítulos, com títulos introduzidos pelo tradutor, pois no pergaminho original não constam. Em nota do tradutor este explica: «Os títulos que encabeçam cada capítulo são da nossa autoria. Procuram penas tornar mais apelativo o resultado final.»
Carlos de Jesus traduziu directamente do grego para português, este Manual de Epicteto, um dos mais populares e acessíveis textos do estoicismo.
A Arte de Viver lê-se muito bem, mas com algumas “paragens” para retermos as ideias que alimentam. De resto é um livro que mostra bem que vale muito a pena ler Epicteto (ainda) nos dias de hoje e que a sua filosofia é intemporal.
Destaco esta passagem do capítulo 1 (O que depende e o que não depende de nós) para terminar esta minha apreciação: «De tudo quanto existe, algumas coisas dependem de nós, outras não dependem de nós. De nós dependem a opinião, os apetites, os impulsos […] Não dependem de nós o corpo, os bens, a fama, o poder […] o que depende de nós é por natureza livre, o que não depende de nós é fraco, servil e pertença de outrem.»

4 comentários:

helena frontini disse...

Fiquei com vontade de o ler, sem dúvida.

Miguel Pestana disse...

É baratinho o livro.
É pequeno (em folhas)
É grande (no conteúdo)

:)

Anónimo disse...

Gosto muito desta temática, de livros de filosofia. Desconhecia este do Epicteto.

Vanessa Dias disse...

Que óptimo! Estou desejosa para ler este livro! Obrigada pela review Silêncios que Falam! :)