quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A Minha História com Bob, de James Bowen

Editora: Porto Editora
Ano de Publicação: 2012
Nº de Páginas: 192

Foi no final de um dia da Primavera de 2007 que James viu pela primeira vez Bob. O músico que tocava nas ruas londrinas tinha então 28 anos, e um percurso de vida infeliz. Nasceu na Austrália e a sua infância e adolescência ficou marcada por instabilidades: quando tinha 3 anos os seus pais se separaram; devido à profissão da mãe ele teve que se adaptar a inúmeras creches, escolas, casas, cidades, e por conseguinte a sua visão do mundo e das pessoas era «assustadora». Essas mudanças «(…) tivera um grande impacto em mim» - conta-nos na página 169.
Sua mãe se casou novamente e a má relação de James com ela e com o padrasto levou-o a se mudar para a Inglaterra, com o intuito de se tornar músico. Chegado a Londres ele ficou a viver na casa da irmã por um tempo. O efeito da sua fragmentada educação e desenvolvimento pessoal teve como resultado em James a edificação de uma personalidade revoltada e insatisfeita. Foi expulso da casa da irmã e andou algum tempo a «surfar» em sofás de amigos. Depois, nos anos seguintes, ele viveu nas ruas. As más companhias aliadas à sua baixa auto-estima o levou a entregar-se ao mundo sombrio das drogas: «Durante anos consumira drogas para fugir às minhas emoções, aliás, para me certificar de que não as tinha.» (p. 168)
Aos 25 anos a Segurança Social Londrina arranjou-lhe um «quartinho» em Tottenham (norte de Londres) e apoiou o seu tratamento de desintoxicação. Nos anos seguintes (2004-2007) James foi acompanhado por psicólogos e psiquiatras que orientaram o seu desmame das substâncias químicas que consumia; da heroína passou a consumir metadona – uma droga mais leve. Nesta «maratona», a sua única distracção e ganha-pão era a música que fazia soar pelas ruas da cosmopolita Londres. Esta é a história de um dos protagonistas deste relato; o outro participante de A Minha História com Bob é o gato que James encontrou, em mau estado, no corredor do seu prédio, nessa Primavera de 2007. Bob era um gato vadio - mesmo «selvagem» - conta o autor, e estava esfomeado. Cuidou do «gato alaranjado» e assim nasceu uma amizade improvável entre dois seres maltratados pelas circunstâncias da vida, que no fundo se cruzaram e se entreajudaram mutuamente. 
As aventuras destes dois «companheiros» após esse dia são imensas, mas sempre emocionantes e vividas a cem por cento, como afirma James no incipit do livro: «(…) todos os dias da nossa vida nos é dada uma segunda oportunidade. Essas oportunidades existem para ser agarradas, nós é que não costumamos aproveitá-las.» (p. 9)
Esta história é um relato sincero e honesto de uma história real, onde não foi omitido os acontecimentos mais «decadentes» da vida de James Bowen. A Streetcat Named Bob (título original) revela a vida solitária de um toxicodependente em recuperação, e de como essa existência ganhou cor e sentido, simplesmente, com a presença de um gato.
O livro prova, mais uma vez, que um animal de estimação pode mudar Uma vida, para melhor.

13 comentários:

Mr. Selva disse...

O meu gato mudou a minha vida : )

macy disse...

Os meus gatos mudaram a minha vida para muitooooooooooo melhor! Miauuuuuuuuuu

Sandra Morim disse...

Adoro animais, neste momento não tenho nenhum gato, mas tenho 2 cães e sei o que isso é.

Leto of the Crows disse...

Todos os animais são de alguma forma especiais. Este livro deve ser muito tocante.

Paulo Teles disse...

a minha manorada queria muito este livro...

Mira disse...

Adoro animais, sobretudo o meu Guedes, mas não consigo ler estas histórias. Tenho tendência a reprimir o meu lado sentimantal.

Odete Silva disse...

Um livro que gostava de ler :)

Ângelo disse...

Uma história de vida interessante, onde algo inesperado pode mudar a nossa vida do avesso...:P

Nuno Santos disse...

Um livro que merece ser lido! =)

AugustoRodrigues disse...

Não li, mas gostava!

DanielaMP disse...

O simples facto de o gato ter um cachecol já me dá uma vontade imensa de ler este livro ^^

Violeta Moreira disse...

Os gatos são realmente fantásticos, assim como o vosso Blog. Parabéns!

Li Menina Mulher disse...

Eu cá quero ler este livro! E depois oferecer a minha sogra que tem 3 gatos e os ama assim por demais! Sao uns mimados! Ehehe