terça-feira, 5 de março de 2013

«A Mão do Diabo», de José Rodrigues dos Santos

Editora: Gradiva
Ano de Publicação: 2012
Nº de Páginas: 592
[Na actualidade] Dois franceses são assassinados em França por não terem revelado a localização de um DVD, que contém indícios e provas ocultas sobre os principais responsáveis pela situação económico-financeira actual. Num Portugal que atravessa a maior crise de que há memória – só comparada com a Grande Depressão de 1929 –, com uma taxa de desemprego com tendência a escalar nos gráficos e uma dívida pública dantesca – no encalço de países como a Islândia, Grécia e Espanha –, sucedem-se duras medidas de corte na despesa e aumento da receita do Estado que tem como efeito colateral a diminuição do poder de compra. Mas não só. Tomás Noronha, o protagonista desta trama, é também afectado pela crise. Quando trata da papelada para usufruir do subsídio de desemprego o historiador português revê um amigo de infância que anda sendo perseguido por uma organização satânica que fará de tudo para que o DVD seja destruído. Filipe Madureira antes de ter o mesmo fim que os franceses, deixa a Tomás um envelope com o resultado da investigação que levou a cabo a mando da chefe-adjunta do Tribunal Penal Internacional, para detectar a fonte de fugas de informação, na política europeia. Mas, há um pormenor que o historiador não contava encontrar: a informação da localização do DVD «bombástico» apenas pode ser revelada após ele decifrar um criptograma enigmático, deixado pelo amigo.
De Espanha a Florença, contando com a colaboração de uma agente da Interpol espanhola, Tomás ver-se-á confrontado com a falta de inércia da polícia internacional, alvo de prevaricação por parte de políticos de topo. Não obstante, o recém-desempregado não se deixa enganar com as rasteiras informáticas que a seita vai preparando, e é instaurado testemunha num processo judicial que decorre em Uffizi, Florença, cidade onde se encontra os sepulcros de Leonardo da Vinci e de Dante Alighieri. Este último conhecido também como Il Diavolo. (abro parêntesis para salientar um pormenor deveras curioso. Em Fevereiro deste ano foi conhecido o título e sinopse do futuro romance de Dan Brown, que sairá em Maio, nos EUA: Inferno, com acção a decorrer em Itália, baseado no clássico da literatura, O Inferno, de Dante Alighieri. Isto para realçar que José Rodrigues dos Santos (JRS) publicou A Mão do Diabo em Outubro de 2012. Verdade, todos sabem, é que algumas pessoas que escrevem para jornais criticam JRS pela copiosidade estilística com Dan Brown. Também não estou afirmando que o autor de Anjos e Demónios copia o autor de O Codex 632. Apenas saliento que coincidências, elas existem.)
Um dos momentos mais decisivos da história passa-se, precisamente, no folhear das últimas páginas deste romance, o 10º do autor que mais vende em Portugal, distinguido, pelo segundo ano consecutivo, com a marca Escritor de Confiança das Selecções do Reader’s Digest.
O que dizer deste romance? Que é um romance semi-ficcional. Que nele, o conteúdo sobre a crise é claro, rigoroso e esclarecedor («Toda a informação histórica, financeira e económica incluída neste romance é verdadeira.» - da nota inicial do autor). A Mão do Diabo é um livro indispensável ao leitor mais leigo (e até ao mais sapiente) em matéria de crise, sobre a sua origem e consequências, e que descodificará alguns dos responsáveis pelos tempos conturbados em que vivemos. Que excertos da obra como os seguintes, não carecem de comentários:
«A moeda única, tal como está a ser concebida, não se vai aguentar. À primeira crise poderá desmoronar-se como um baralho de cartas (…) os países da moeda única irão saltitar de crise em crise (…)» (p. 527)
«Manipularam os relatórios para que apresentassem uma imagem cor-de-rosa da viabilidade e do futuro do euro.» (p. 529)
«A responsabilidade pela crise não se limita aos governos dos últimos anos (…) é preciso processar também muitos antigos governantes por crimes contra a humanidade.» (p. 560)
Com simplicidade, JRS analisa a crise. Com simplicidade, o leitor fica esclarecido, efeito esse que nenhum programa de televisão ou jornal executa com sucesso. Submarinos, TGV, PPP, obras de autoestradas, estádios, hospitais (bens não-transicionáveis), são abordados directamente neste livro com o rigor, talvez, que só um grande comunicador possui.
Uma das desvantagens desta leitura, por ser rotulado de romance, relaciona-se com muita informação sobre a crise, e um início (ida à Grécia) e término (profuso) de romance com pontas soltas, desnecessárias.
Em nota final JRS afirma ter consultado para a génese de A Mão do Diabo «opiniões de economistas eminentes. Nada é minha opinião, tudo o que está escrito resulta do diagnóstico feito por profissionais. O livro inclui por isso informação económica e financeira genuína.» (p. 585)
Nesta nota final JRS assenta ter consultado várias obras como O Fim da Ilusão, de Medina Carreira (antigo ministro das Finanças; aliais, um dos apresentadores do livro no lançamento em Outubro), Olhos nos Olhos, de Medina Carreira e Judite Sousa.
A Mão do Diabo encontra-se já na sua 13ª edição com 126.000 exemplares vendidos, dados revelados hoje pela Gradiva.

28 comentários:

Clarinda disse...

Terminei a leitura deste magnífico livro no domingo. E como dizes, para uma leiga, foi como um manual de esclarecimento sobre a crise fabulosamente enquadrada numa trama espetacular. JRS no seu melhor!

Maria Manuel Magalhaes disse...

Uma visão muito clara daquilo que é a situação económica actual. Gostei muito deste livro, que deixou a pensar em muitas coisas

Mónica Jordão disse...

Gostava muito de ler este livro, parece interessante. Próxima aquisição.

Célia disse...

Tenho este livro em lista de espera para ser lido. Gosto bastante de José Rodrigues dos Santos e este parece-me um bom livro para "retomar" os livros do autor.

Brito Vaz disse...

Um livro a ler, certamente. Os livros em lista de espera são sempre muitos e o tempo é pouco.

Carla disse...

Já li este livro e gostei bastante. Na generalidade gosto da obra de José Rodrigues dos Santos.

Marisa Luna disse...

Ainda não li nenhum livro deste género, mas confesso que fiquei com vontade.
Quem sabe experimento!!!

AndreiaS disse...

Tenho curiosidades neste! Já li dois livros do autor e gostei muito de ambos! Bjinhos

redonda disse...

Ainda não li nada dele. Talvez um destes dias...

Rkocheckers disse...

Ainda não li mas difinitivamente um livro a ler assim que tiver oportunidade

Rkocheckers disse...

Ainda não li mas difinitivamente um livro a ler assim que tiver oportunidade

Arnaldo Santos disse...

José Rodrigues dos Santos, para além de ser um grande pivot e repórter televisivo, é um grande escritor. Penso que neste livro (que ainda não li) põe ao corrente das pessoas e as faz meditar sobre a escandalosa crise económica europeia e mundial. A "mão" do diabo, já esteve para sanear, recorde-se, este grande profissional da RTP! Coisas incríveis do "diabo"!!! Que Deus julgue esses diabos criminosos!!!

Arnaldo Santos disse...

José Rodrigues dos Santos, para além de ser um grande escritor, é um grande pivot e repórter de televisão.
O livro "A Mão do Diabo" (que eu ainda não li), penso tratar-se da escandalosa crise económica que desgraça a Europa e o Mundo! É o diabo a tecê-las e o povo a vê-lo passar!... Aliás, o "diabo" já tentou sanear este grande profissional da Comunicação Social, da RTP, só porque é isento e não se deixa censurar! Coisas do "diabo"!!! Que Deus julgue estes diabos à solta e sem castigo!!!

DanielaMP disse...

Mais um grande livro deste GRANDE escritor.
Recomendo :)

joanaazvd disse...

Li um artigo na LER que arrasa completamente este livro e até fiquei com alguma vontade de ler, quanto mais não seja para a aprender alguma coisa sobre esta omnipresente crise. Nunca li nada do autor.

joanaazvd disse...

Li um artigo na LER que arrasa completamente este livro, mas até fiquei com alguma vontade de ler, quanto mais não seja para aprender alguma coisa sobre esta omnipresente crise.

Nunca li nada do autor.

Raquel Lima disse...

Por incrivel que pareça recebi este livro no natal e ainda não peguei nele:( Uma vergonha, eheheheh

Manuela Anjos disse...

Sem dúvida um dos melhores autores portugueses. Este livro está na lista dos "A ler".

Esmeralda Rodrigues disse...

O meu marido está quase a acabar este livro e está a gostar muito. A seguir passa para mim.

Daniel Nascimento disse...

Uma obra fantástica! Recomendo!

Sandra Nobre disse...

Nunca li nenhum livro dele, mas tenho uma certa curiosidade.

Unknown disse...

Estou a ler e a adorar, um dos melhores autores portugueses :)

Odete Silva disse...

Gostava imenso de ler este livro. :)

Rkocheckers disse...

Emprestaram-me este livro esta semana e vou começar a ler,as minhas espectativas estão altas

Brito Vaz disse...

Quero ler este livro em breve.

Ciclofigueiredo disse...

Depois de ler os comentários será certamente uma das próximas aquisições.

jose ramalho disse...

Acabo de ler o livro e constato que a austeridade não nos leva a lado nenhum como faz querer neste livro

Daniela Costa disse...

Parece-me fantástico, mas posso esperar conseguir lê-lo :)