quinta-feira, 15 de maio de 2014

«NYPD Red: À Margem da Lei», de James Patterson e Marshall Karp

Editora: TopSeller
Data de Publicação: Abril 2014
N.º de Páginas: 336

Publicado nos Estados Unidos em Março deste ano, NYPD Red: À Margem da Lei é o segundo volume de NYPD Red, a mais recente série da autoria de James Patterson conta também contando com a colaboração do escritor Marshall Karp. Neste segundo volume, a cidade de Nova Iorque está a ser alvo de assassinatos em série. O suspeito é apelidado pelos mídia como «o assassino de Hazmat», quando o modus operandi que culminou nas mortes, evidencia tortura e vingança inerentes. Quando a quarta vítima, uma mulher, é encontrada num carrossel giratório em Central Park, e passados algumas semanas sem a polícia distrital ter pistas que levem ao assassino, a unidade especial NYPD é chamada a intervir. E sob pressão, pois as eleições estão à porta e o actual presidente camarário da cidade não quer perder eleitores por causa deste caso, sem solução; a sua opositora nas eleições, Muriel Sykes, é que lucraria mais. Este caso ganha maior popularidade quando os nova-iorquinos sabem que o serial killer rastreia ex-criminosos que não foram punidos. Ou seja, é um justiceiro, sedento de raiva.
O detetive Zach Jordan e a sua parceira Kylie MacDonald são destacados para a investigação e logo descobrem que um caso de homicídio não resolvido, há mais de dez anos, em Howard Beach, que envolvia a Máfia, está interligado com as recentes mortes.
Em NYPD Red: À Margem da Lei há duas histórias que se cruzam, que inicialmente parecem não fazerem sentido. Contudo, o elo de ligação das tramas a partir da segunda metade do policial é desvendado e o suspense começa a estar mais iminente. A partir de personagens que não aparentam o que são, que mudam de nome para se camuflar, James Patterson engendrou um thriller policial e político com doses de humor, que prende o leitor quase na totalidade da acção. Todavia, o fio-de-prumo que dá azo à história, a motivação do assassino para cometer os homicídios, é pouco fundamentada e falha na convicção; em todo o caso, é suficiente para criar surpresa no final do livro, e por isso vale a leitura.

8 comentários:

ana ferreira disse...

Parece ser bastante interessante

Edite Lemos disse...

Sou devoradora de policiais. Nunca li nenhum de James Patterson. Quem sabe seja este o primeiro? :)


Alípio Vieira Firmino disse...

Totalmente de acordo com a Edite Lemos, adoro policiais e ainda não tive oportunidade de ler nenhuma obra de James Patterson. Quem sabe Edite, quem sabe? :-)

Arnaldo Santos disse...

Um thriller policial e político, com humor à mistura, onde podemos ver duas histórias que se cruzam.
"à Margem da Lei", também vemos políticos.

Andreia Sousa disse...

Adoro livros de serial killers, tem muito mistério :)

Marcelo Rodrigues disse...

Este é um policial que parece pleno de suspense. Gostei da crítica. Muito sincera.

Catarina disse...

Nunca li nada deste autor, mas tenho em lista de espera o "Private", também gostava de ler este.

Esmeralda Rodrigues disse...

Parece ser bem interessante.