sexta-feira, 25 de julho de 2014

«Hoje Sonhei Que Voava», de J. M. DeBord

Editora: Bizâncio
Data Publicação: Maio 2014
N.º de Páginas: 240

Todas as pessoas sonham. Através dos sonhos, que são estados psicofisiológicos, a mente comunica com o sonhador através de personagens, cenários, formas, cores, etc. No Talmud está escrito que «um sonho não interpretado é como uma carta que não foi lida»; para ajudar os leitores a recordarem e descodificarem os símbolos e figuras que povoam os seus sonhos, a Bizâncio editou um guia prático e acessível, que oferece as ferramentas básicas e necessárias para que qualquer leigo na temática possa se aventurar na descoberta do que o seu inconsciente está a alertar, aquando de um sonho.
Na primeira parte de Hoje Sonhei Que Voava, obra escrita por J.M. DeBord, é dado a conhecer ao leitor o sistema 1-2-3, que resume-se a três passos fundamentais necessários para uma descodificação rigorosa do que se sonha: (1) Recordar os sonhos, apontando num caderno as personagens, os cenários, a acção, a reacção ou os sentimentos despertados no sonhador na duração do sonho, e o epílogo do sonho; (2) Interpretar os sonhos, explorando e interligando aparentes simbolismos e metáforas por detrás de uma cor, de uma parte do corpo, de uma forma, etc.; (3) Viver os sonhos, ou seja, tirar partido da sua mensagem de alerta ou de motivação para agir em alguma área da vida que esteja a ser alvo de procrastinação ou de preocupação.
A Parte II do livro é destinada à análise de todos os símbolos que aparecem nos sonhos, por exemplo o que significa sonhar com: a morte, com uma determina cor ou número, com uma determinada parte do corpo (como os dentes, mãos, pés, olhos), sonhar com o antigo trabalho/casa/ex-companheiro, etc. O autor dá a sua opinião sobre o porquê de termos sonhos recorrentes, que se repetem regularmente: «Porque o sonho está a vincar uma ideia que o sonhador não está a conseguir captar.» Nesta segunda parte da obra existe uma referência ao significado de ‘Imaginação activa’ e ‘Arquétipos’ (conceitos desenvolvidos por Carl Jung) nos sonhos. Quando sonhamos com livros ou com uma biblioteca, o que quer dizer? Porque temos pesadelos? Os sonhos revelam coisas do futuro ou do passado? Em Dreams 1-2-3 (título original), J.M. DeBord (autor que não tem formação académica na área, mas que “lida” com os sonhos há muitos anos) responde a estas e a outras perguntas que já todos nós um dia fizemos, tendo como base a sua imensa experiência empírica enquanto entusiasta e interpretador de sonhos. Muitos dos relatos de sonhos vindos no livro ou são do próprio autor ou de pessoas que a ele recorreram para a sua análise e aconselhamento. A essência da interpretação dos sonhos é bastante simples e compreensível, e qualquer pessoa pode tirar partido dos “avisos” que nos sonhos estão subjacentes.
Uma curiosidade sobre o tema dos sonhos não vinda no livro: o sono está dividido em dois tipos básicos: o sono não-REM e sono REM. Durante o sono REM — Rapid Eye Movements — os nossos olhos movem-se rapidamente em várias direcções e é nesta fase que ocorrem os sonhos.
Hoje Sonhei Que Voava é um livro muito útil para ler e guardar junto à cabeceira, para consulta periódica. A obra poderia ser aprimorada se dela constasse um índice remissivo.

2 comentários:

Loja Andreia disse...

Conheci hoje o blogue. Estou a gostar muito. Excelente descrição. :)

Giani Plata disse...

Sempre procuro os significados dos meus sonhos na internet.
Um livro desse seria muito útil! ^^
Vou dar a ideia para uma parceira do blog publicar esse título aqui no Brasil! \o/

Beijokinhas!