sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

«Cancro Com Humor», de Marine Antunes

Editora: Livros de Ontem
Data de Publicação: Novembro de 2013
N.º de Páginas: 96

Rir é o melhor remédio. Está comprovado cientificamente que rir e dar gargalhadas frequentemente acalma o stresse, facilita a digestão, fortalece o sistema imunológico, liberta endorfinas, etc. Quando se fala de cancro, com certeza que apetece-nos tudo menos sorrir, até porque não há hoje em dia quem não tenha lidado com esta doença, directa ou indirectamente. Seja um familiar, um amigo ou um colega que já tenha tido cancro, seja através de casos de figuras públicas que dele tenham sido doentes ou vítimas, a palavra cancro é tida ainda como sinónimo de sofrimento e morte. O cancro mata muitas pessoas, infelizmente, mas há outras que lhe dão luta e que lhe sobrevivem. É o caso de Marine Antunes que em Janeiro de 2013 fundou a Associação Cancro com Humor, ano que terminou com a publicação do livro homónimo, de que este texto vem falar.
Marine nasceu em 1990 e treze anos depois foi-lhe diagnosticado cancro (caso não tenham reparado, até agora neste texto seis vezes a palavra cancro já foi escrita (agora são sete vezes!), isto porque a autora, logo na primeira das crónicas que compõem o livro, alerta-nos que devemos chamar as coisas pelos nomes apropriados. «(…) o meu cancro foi muito bem-vindo», «(…) este cancro foi a única montanha russa assustadora em que consegui andar. E como nas montanhas russas, também me fartei de vomitar», confessa Marine com o humor e sarcasmo constantes ao longo de todas as 24 crónicas de Cancro Com Humor, livro escrito volvidos dez anos após a palavra cancro ter entrado na sua vida e a modificado para todo o sempre, já a autora era licenciada em Comunicação Social e já aparecia na televisão a fazer stand-up comedy.
Relatando com ligeireza e sem dramas os principais episódios que marcaram o processo da sua doença, no hospital e em casa, «o mais difícil durante todo o processo da doença é tolerar as pessoas», a jovem autora fez uso do seu humor negro e capacidade nata para comunicar com os outros – embora ela confesse que era uma rapariga anti-social quando estava internada –, os «carequinhas» e «ex-carequinhas», e o resultado é um livro que desdramatiza e passa a mensagem de que devemos ver o cancro como um «aliado» e não como um «inimigo». É sobretudo um livro despretensioso, onde o personagem principal não é o cancro mas o humor. Esta é a «vingança» de Marine: rir-se do seu cancro. «Este é um livro sem hipocrisias, sem a história do coitadinho», escreveu no prefácio o comediante António Raminhos
No final da leitura de Cancro Com Humor não vamos ter pena da Marine por ter tido um cancro na sua adolescência, muito pelo contrário, vamos invejar a sua garra e modo como enfrentou a doença e actualmente, por desenvolver de forma voluntária acções de sensibilização e idas aos hospitais, para passar a sua mensagem positiva cheia de humor a doentes oncológicos, ex-doentes e familiares dos mesmos. Quem é o público-alvo deste livro publicado pela Editora Livros de Ontem? Quem já teve, quem tem e quem não tem (nem quer ter!) cancro.
(Apenas um senão a apontar à obra, que não tem a ver com a autora mas com a editora: a revisão do texto revela algumas falhas, sendo que algumas gralhas a nível de pontuação, por exemplo, poderiam ser evitadas.)

https://www.facebook.com/silenciosquefalam/photos/a.187362988008873.45353.178784915533347/764266180318548/?type=1&theater

Excertos:
«Lembro-me de me dizerem que a origem do meu cancro poderia ser hereditária. E é aí que entra toda uma felicidade indescritível. Aos 13 anos já me era concedida uma herança. Parece que já estou a ouvir o advogado, na leitura do testamento:
- Tu ficas com a casa, tu com os carros, e tu querida, ficas com um cancro (…) E ainda dizem que não tive sorte.» (p. 65)
«O humor, a sacanice, a falta de tento na língua é só uma forma de me expressar. É um substituto de revolta, uma tentativa inocente de encarar as coisas com optimismo.» (p. 83)

6 comentários:

Diana Ferreira disse...

Um dos próximos livros que quero ler.

Carolina Marques disse...

Um livro que me despertou o interesse. Infelizmente as revisões são uma grande falha de grande parte das editoras, na minha opinião...

Ana Oliveira disse...

Admiro muito as pessoas que perante uma adversidade tão grande como saber que tem uma doença grave como o cancro conseguem erguer-se e encarar a vida com positivismo!

livingbelowtheclouds disse...

Este tipo de livros devia ter mais publicidade, de modo a quebrar tabus como o falar de cancro. Deve ser uma leitura muito interessante

----
Joana Bento

Ricardo Bastos disse...

o humor ajuda a enfrentar algumas situações difíceis. Fiquei curioso.

Cristina Lima disse...

Este livro deve ser importante para dar ânimo a pessoas que estão a viver esta doença terrível.