segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

«A História de Erika», de Ruth Vander Zee e Roberto Innocenti

Editora: Kalandraka
Data Publicação: 2007 (1.ª edição); 20 Fev. 2015 (2.ª edição)
N.º de Páginas: 32
No final do mês passado assinalou-se setenta anos desde que foram libertados os sobreviventes do campo de concentração de Auschwitz. Em nota introdutória de A História de Erika, obra que agora é editada pela segunda vez pela Kalandraka, a autora do livro esclarece aos leitores: «Em 1995, passados cinquenta anos do fim da Segunda Guerra Mundial, conheci a protagonista desta história.» Há vinte anos, em Rotemburgo, na Alemanha, Ruth Vander Zee (n. 1944) encontrando-se de passagem pela cidade, por mero acaso, conheceu Erika (n. 1944), uma judia sobrevivente do Holocausto. Foi após observar que esta «trazia ao pescoço um fio de ouro com uma estrela de David» que Ruth ficou a conhecer a inacreditável história de Erika, pela voz da mesma. Foi com essa mesma voz que a americana decidiu narrar esta breve, simples, verídica e impactante história, um testemunho transposto através de textos compostos por frases curtas e sentidas, que deixam inúmeras inquietações e interrogações por decifrar: «... pergunto-me o que…?», «… deve ter ido…?», «… quantos dias terei…?», «… imagino…?», «Teria…?»,… até porque Erika só tem certeza do ano em que nasceu; «Não sei o dia. / Não sei que nome me deram. / Não sei em que cidade nem em que país vim ao mundo.»
A ilustração hiper-realista de tons sombrios, com destaque colorido para apenas o pormenor de um bebé embrulhado numa manta, da autoria de Roberto Innocenti (n. 1940) que vem na página seguinte à frase proferida por Erika «A minha mãe atirou-me para fora do comboio» talvez seja a que mais impacto visual e psicológico atinge o leitor, de todas as estampas que compõem este livro. Como refere a protagonista, e quase que podemos sentir os ecos do seu sofrimento e dor, «No seu caminho para a morte, a minha mãe lançou-me para a vida.» A gratidão pela vida, pela sua vida, é uma força que trespassa para além das palavras, das imagens, muito depois de fecharmos a última página deste livro. Depois disso só restará aos leitores um longo momento de silêncio e de reflexão.
Erika’s Story, título original, é uma poderosa história que poderá servir como primeira abordagem para primeiros leitores conhecerem o que foi o Holocausto — A História de Erika é um dos livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura l Ler+. Passando o lugar-comum, este é um livro que pode ser lido por leitores dos 8 aos 88 anos. De referir ainda a criativa capa do livro, que contém, camuflada, a estrela de David.
Ruth Vander Zee além desta obra escreveu outros três livros infantis: Mississippi Morning, Eli Remembers e Always With You, e mais recentemente publicou um livro relacionado com Espiritualidade.


9 comentários:

macy disse...

Este é um daqueles livros que não posso deixar de ler. O tema é dos meus preferidos!
Bom fim de semana :)
Beijoca
Teresa Carvalho

Maria João Freire disse...

Tema aparentemente distante mas cuja pertinência é sempre actual. É preciso lembrar para que não se volte a repetir. Leria este este livro com todo o gosto.

Isabel cristina Azevedo disse...

É um tema de meu agrado, ainda não li, mas gostava muito de ler este livro.

Nuno Antunes disse...

Adoraria ler este livro ! parece muito interessante!

Maria Pinheiro disse...

Livro muito interessante. Uma de muitas histórias do holocausto, um dos meus temas preferidos!

Ana Rute disse...

O tema fascina-me. E ainda que o livro seja bem pequenino, acredito que conte uma pequena parte da História do Holocausto. Fiquei curiosa.

fatima goncalves disse...

um livro a ler para nunca esquecer. sem duvida

Brigite Beato disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
kassie disse...

Não conhecia este livro e fiquei muito curiosa, com muita vontade de o ler.
Gosto de ler sobre o tema, defendo que ele não pode cair nunca no esquecimento e por isso esta reedição é importante.
Vai já para a minha wishlist :)