terça-feira, 23 de junho de 2015

Entrevista a José Canita

Em 2014 começou um novo ciclo da sua vida, aos 50 anos de idade, após ter saído fisicamente incólume de um acidente aparatoso. Tomando consciência, de forma abrupta, de quanto é valiosa a vida, o Eng.º José Canita decidiu alterar as suas rotinas de modo a que não tivesse de ser mais prisioneiro das suas decisões. 
   Despediu-se da empresa onde era director-geral e juntamente com o filho começou a escrever um livro, onde revela os principais obstáculos que teve de vencer, para se tornar no homem que é hoje: «Aos 50 anos consegui transformar-me num “novo Jovem”, com mais maturidade, conhecimento e experiência.» Uma das mensagens centrais da obra é de que independentemente da situação em que nos encontremos, devemos ter sempre coragem para recomeçar a viver.
   O livro Quem Tem Coragem?, cuja 1.ª edição esgotou em apenas três semanas, foi o mote para esta entrevista onde José Canita revela os seus projectos actuais e futuros, enquanto autor, formador, consultor e palestrante.

Texto: Miguel Pestana
Fotos: Marco Torre Photography e Gonçalo Canita
............................................................................................................................................................
Quem é o José Canita? Fale um pouco sobre si.
Acima de tudo, considero-me uma pessoa de coragem, que apesar dos meus 50 anos de idade, decidiu deixar um emprego de 22 anos, 15 dos quais como Diretor Geral, para ajudar pessoas. Como Palestrante Coragem, Autor e Consultor, desenvolvo a minha atividade profissional nas áreas do Humanismo, Bem-Estar, Qualidade de Vida e Orientação Pessoal/Profissional. Sou português, casado, com um filho, um ser humano corajoso, altruísta, otimista, sonhador, empreendedor e formado em Engenharia de Produção Agrícola, tendo outras formações específicas em várias áreas, nomeadamente em Agro-Indústria, Política Agrícola comum, Projetos de Investimento, economia social, distribuição alimentar, logística, marketing, vendas, comunicação, gestão de empresas, marcas e qualidade, eventos, neurociência e liderança. Ao longo dos anos tenho sido criador, mentor e gestor de vários projetos e marcas líderes de mercado. Desenvolvi trabalho também ao nível do recrutamento, criação, liderança, formação e treino de equipas de vendas.

Que importância teve para si o dia 23 de Julho de 2014?
Foi o dia em que, eu e a minha esposa, vimos a morte à nossa frente, devido a um acidente de viação. Este podia ter sido o último dia das nossas vidas, deixando um filho sozinho neste mundo. Mas pelo contrário, este acidente fez-me ver a vida de outra forma. De quanto é importante o valor da vida. Nele consegui clarificar o meu caminho, numa perspetiva mais humana e de equilíbrio. Nesse sentido consegui olhar para este acidente, como uma oportunidade e nunca como um problema.

Esse acontecimento pode ser descrito como um “momento do despertar” de consciência?
Sim. Até aqui a minha consciência, estava completamente absorvida pelo trabalho. A empresa, estratégia, projetos, objetivos, resultados e sempre mais e mais. Um ritmo alucinante de trabalho físico e mental, com consequências dramáticas de desequilíbrio entre a vida pessoal e profissional. O acidente despertou-me para uma consciência de vida, muito mais enriquecedora do ponto de vista da sua qualidade, bem-estar e equilíbrio físico, mental e espiritual.

O incidente foi o impulsionador do seu primeiro livro, certo?
Certo. O acidente de viação, no dia 23 de Julho de 2014, foi o “clique” para o nascimento do meu primeiro livro Quem Tem Coragem? e da minha carreira como autor. Este momento foi de tal forma marcante e inspirador que, ao chegar a casa após o acidente, a primeira coisa que fiz, foi reunir com a minha família e expor a ideia. A felicidade foi ainda maior, quando todos deram a sua aprovação e coragem para nesse mesmo dia começar a escrevê-lo.
Texto de opinião
Quem Tem Coragem? é um livro que recomenda para que tipo de leitores?
Para todas as pessoas, independentemente da idade e formação. Quem Tem Coragem? é um Guia prático de orientação pessoal e profissional, estruturado de uma forma simples, com um tamanho de letra e espaçamento, propícios à leitura de qualquer pessoa.

Mais de 200 pessoas estiveram na apresentação oficial do livro a 28 de Fevereiro, no Casino Estoril. Como decorreu o lançamento?
Foi fantástico! Para um autor em início de carreira, primeiro livro e completamente desconhecido nesta profissão, pode-se dizer que foi mesmo muito bom, ter este número de pessoas, num espaço de referência nacional e internacional. Foi ainda mais marcante, o facto de termos pessoas de norte a sul do país, que se deslocaram de propósito para assistirem a este evento. A juntar a tudo isto, a forma como foi estruturado o lançamento, com um formato e alinhamento completamente diferenciador, fez com que este evento fosse brilhante.

O seu filho Gonçalo é coautor do livro. Que papel ele desempenhou na produção do livro?
O Gonçalo Canita deu um contributo muito positivo neste livro, uma vez que é um apaixonado pela escrita, proactivo e já com conhecimento de algumas destas áreas. A sua intervenção foi mais ao nível da organização da estrutura.

Como foi a sua experiência na Feira do Livro de Lisboa? Muitos leitores vieram ter consigo ao pavilhão da Chiado Editora, a pedir autógrafos?
Foi muito positiva. Fiquei mesmo muito contente, por ter sido convidado pela minha editora (Chiado Editora) a fazer uma sessão de autógrafos na principal feira do livro de Portugal. Com apenas 3 meses de Autor, o que se pretendeu foi contactar com o público, falar sobre o livro e marcar posição nesta profissão. Apesar de ainda ser pouco conhecido, já consegui dar autógrafos e ter alguns minutos de atenção por parte das pessoas. Estamos no início de um grande projeto.

Qual é a sensação de aos 50 anos de idade se ser um autor… jovem?
Muito boa! Aquilo que eu pretendo transmitir neste livro é mesmo isso, independentemente da idade, manter sempre um espírito jovem. Aos 50 anos consegui transformar-me num “novo Jovem”, com mais maturidade, conhecimento e experiência. Uma sensação bastante agradável!

Na sua opinião os portugueses têm, na generalidade, coragem para sair das suas zonas de conforto?
Se a têm, na sua grande maioria ainda a falta demonstrar. Temos portugueses com muito potencial, mas falta-lhe o fator coragem e a orientação pessoal/profissional para o conseguir ter. Reflexo disso é o nível elevado de desmotivação, a falta de qualidade de vida e bem-estar e desvalorização do valor do seu potencial.

No livro, o José descreve algumas orientações para as pessoas que encontram-se sem emprego. Pode deixar aqui alguns desses conselhos?
Cada caso é um caso. Como Orientador Pessoal/Profissional o que aconselho é que qualquer desempregado deve procurar orientação na sua vida, ou por si, ou procurando alguém com conhecimentos e experiência para o ajudar numa nova caminhada. Quando alguém me contacta, fico bastante feliz por ajudar a transformar a vida dessa pessoa no sentido do sucesso e equilíbrio. Assistir a uma das minhas palestras é outra sugestão, uma vez que a minha história de vida, poderá inspirar essas pessoas a dar um novo sentido à sua vida. O meu trabalho nesta área é contribuir para uma redução do desemprego em Portugal e simultaneamente aumentar a felicidade no trabalho.

Que recomendação dá às pessoas que acordam desmotivadas para ir trabalhar?
Procurem inspiração! As minhas palestras são verdadeiramente inspiracionais. A leitura do livro Quem Tem Coragem? é fundamental. Como diz o José António Saraiva no seu prefácio “(…) pode dizer-se que se trata de uma espécie de bíblia para quem tem a coragem de querer dominar as suas ações”. A nível da orientação pessoal/profissional estou disponível para quem quiser contactar-me (josecanita.consultor@gmail.com).

Como é que é possível, no actual cenário de crise que o país atravessa, as pessoas conseguirem ter motivação e esperança?
É possível. Mas têm que ser inspiradas por verdadeiras histórias de vida e orientadas pelos seus protagonistas.

Saber manter o equilíbrio entre a vida pessoal e a vida profissional pode ser difícil para a maioria de líderes de empresas. A recompensa para o indivíduo, a nível de bem-estar físico e mental, que dessa harmonia advém, deveria levar a que muitos empresários que têm cargos hierárquicos superiores devessem pensar com seriedade no assunto. Concorda?
Sim.

Como é que se treina o pensamento positivo?
Muita leitura, presença em palestras inspiradoras e orientação.

As pessoas continuam a ser reticentes à mudança, quer seja de emprego, de casa, de carro, de companheiro, de rotinas… Qual a razão que encontra para tal?
Medo de dar o passo.

Uma das mensagens que o livro transmite é de que a idade de uma pessoa não é um obstáculo, um limite, para quem quer ser empreendedor. Nunca é tarde para o recomeço do que quer que seja, verdade?
Sim. Eu próprio sou um exemplo dessa verdade. Neste momento estou a empreender os meus próximos 50 anos. Nunca é tarde para recomeçar uma nova vida, continuar a ser ativo e saudável.
Conseguiu vencer todas as vicissitudes da sua vida? O fracasso pode ser um aliado no nosso crescimento pessoal?
Todas. Desde criança sempre fui uma pessoa de sonhos, lutando por eles, mesmo passando por grandes obstáculos. Consegui sobreviver à violência doméstica e ao bullying. Venci problemas de saúde, tais como a obesidade e a hipertensão. Resisti a vícios como os do álcool, tabaco e droga. Antes do sucesso vem o fracasso. Saber ler o fracasso é fundamental, para um crescimento e desenvolvimento pessoal. O livro Quem Tem Coragem? orienta o leitor nesse caminho. Todo o fracasso tem um lado positivo.

É palestrante em escolas, universidades e outras instituições. O coaching é uma das melhores ferramentas de desenvolvimento pessoal?
A ferramenta principal que utilizo para transformar pessoas são as palestras. Estes eventos baseados no livro Quem Tem Coragem?, na minha história de vida, conhecimentos e experiências, pretendem ser inspiradores para o desenvolvimento pessoal de qualquer pessoa. Se a tudo isto, se juntar um plano de orientação personalizado, então teremos as ferramentas essenciais para transformar a vida de uma pessoa.

O José Canita é mentor do projecto “QUEM TEM CORAGEM”, que arrancou a 14 de Março e que tem percorrido várias cidades de Portugal como Évora, Algarve, Leiria, Coimbra, Lisboa e Beja. Qual o objectivo desta Tour?
A Tour Portugal Quem Tem Coragem? irá passar por 50 cidades portuguesas e mais 25 outras localidades, escolas e universidades, no âmbito dos meus 25 anos de carreira profissional. Nestes locais vão ser realizadas Palestras Show inspiracionais, onde irei partilhar com os presentes, a minha história de vida e o meu livro.

Indique o nome de três autores/formadores/coaches motivacionais que para si são referência em Portugal?
Prefiro passar.

Que lugar ocupa a leitura na sua vida?
Permanentemente. Diariamente.

Em Quem Tem Coragem?, menciona que já leu mais de 500 livros até à data. Quer recomendar dois ou três livros, de ficção ou não-ficção, que o tenham marcado profundamente?
São mesmo muitos, os que me marcaram. Nesse sentido prefiro não selecionar, porque todos foram importantes no seu conjunto.

Qual o último livro que leu? Pode transcrever a frase de abertura desse livro?
5 Lições de Storytelling” de James McSill. “Se vou viver muitos ou poucos anos, não sei. O facto é que a vida é breve.”

Já tem alguma ideia para um próximo livro?
Estou constantemente num processo de observação e recolha de elementos. Só o tempo o dirá!

..................................................................................................................................................
Página do livro Quem Tem Coragem? no Facebook.
Página do livro no site da Chiado Editora.
Nota: A entrevista foi realizada via e-mail.

1 comentário:

Marisa Rodrigues disse...

Estou ansiosa por ler...