terça-feira, 31 de outubro de 2017

Novo livro de M. J. Arlidge: «Mal Me Quer»

Dois crimes num espaço de duas horas são o ponto de partida de uma nova aventura para a detetive Helen Grace, que terá 24 horas para resolver um quebra-cabeças mortal.

Mal Me Quer (320 pp.) é uma edição Topseller, e segundo o The Times, este livro de M. J. Arlidge é «Sinistro e de leitura compulsiva.»

Do autor, encontram-se já publicados em Portugal os títulos: Um, Dó, Li, Tá; À Morte Ninguém Escapa; A Casa de Bonecas; A Vingança Serve-se Quente; Na Boca do Lobo; e O Anjo da Morte.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Mulheres portuguesas de referência são abordadas em dois novos livros

Catarina Furtado, Joana Vasconcelos e Assunção Cristas são três portuguesas que, embora sejam de áreas muito diferentes, são modelos inspiradores para muitas mulheres. Luís Sítima, Maria Tavares Leal e Margarida T. Santos, no livro Mulheres que Inspiram - Seis Fatores para o Sucesso que a PrimeBooks acaba de publicar, traçam alguns dos factores que mais se destacam e que contribuem para que estas e outras personalidades portuguesas femininas sejam vistas com admiração.

Um outro livro com a chancela das Edições Saída de Emergência e que a partir de 3 de Novembro estará à venda, da autoria da jornalista Alberta Marques Fernandes, partiu da mesma premissa. Através de entrevistas individuais, a autora, em Mulheres na Política - Retratos na Primeira Pessoa, revela algumas confidências de algumas mulheres que escolheram estar ao serviço do país, na política. São exemplos Isabel Moreira e Mariana Mortágua.

Numa época em que se abordam como nunca os temas da igualdade de género e de oportunidades, muitos são os role models femininos que desafiam as estatísticas e alcançam o sucesso nos seus campos de atividade. Importa perceber como. Para isso, os autores entrevistaram 13 mulheres portuguesas de reconhecido mérito nacional e internacional em diversas áreas – Assunção Cristas, Catarina Furtado, Clara de Sousa, Cristina Fonseca, Elisa Ferreira, Elvira Fortunato, Esmeralda Dourado, Fátima Barros, Joana Vasconcelos, Leonor Freitas, Maria Manuel Mota, Marisa Matias e Susana Barroso. Concluiram quais os principais fatores de sucesso comuns a todas elas e que, afinal, as conduziram até ao topo das suas carreiras. Neste livro esses fatores são explicados um a um, equilibrando o discurso direto das entrevistadas, que advém das suas experiências práticas, com os conceitos próprios do conhecimento profissional de quem trabalha diariamente nas áreas de liderança e gestão de recursos humanos.


Nunca como agora as mulheres se destacaram tanto na política portuguesa. Pela primeira vez em Portugal, o número de mulheres no Parlamento ultrapassa os 30% e duas lideram partidos. Combativas, modernas, determinadas e comprometidas com a causa pública, não se amedrontam com o facto de o caminho na política ser mais difícil para as mulheres.
É o que Assunção Cristas, Catarina Martins, Cecília Meireles, Isabel Moreira, Mariana Mortágua, Rita Rato e Teresa Leal Coelho têm em comum entre elas, mas também com outras mulheres ativas na política. Sete parlamentares, de lugares e experiências de vida distintos, falam em nome próprio e com a firme convicção de que o melhor está para vir, que a vida política ainda mal começou e que vão continuar a trilhar os caminhos necessários na busca por mudança.

domingo, 29 de outubro de 2017

As novidades de Novembro da Editora HarperCollins

Os meninos da estrela amarela
de Mario Escobar
O segundo romance de Mario Escobar, romancista, historiador, publicado pela HarperCollins Ibérica, depois do grande êxito alcançado com Canção de embalar de Auschwitz.
Destino: um novo começo
de Katy Colins
«Katy escreve com humor e emotividade. O clube de viagem dos corações solitários dar-te-á a conhecer uma “Bridget Jones mochileira”.»
Holly Martin
Gun Games
de Faye Kellerman
«Uma das melhores escritoras de mistério.»
Los Angeles Times

Novo livro de Filipa Sommerfeldt Fernandes: «10 Histórias para comer sem birras»

Depois do sucesso de 10 Histórias para Adormecer sem Medos nem Birras, Filipa Sommerfeldt Fernandes, especialista em sono e alimentação infantil, traz-nos uma nova obra infantil, com a chancela da Editora Manuscrito, composta por dez divertidas histórias.

Eis a sinopse de 10 Histórias para comer sem birras:
A Frederica adorava fazer ballet com as suas amigas, mas também gostava muito de comer doces a toda a hora…
O Francisco adorava jogar à bola, mas comer era um problema. Mal se sentava à mesa, começavam as birras. A única solução era dar-lhe o tablet para ver os vídeos do seu jogador preferido: o Cristiano Ronaldo, claro!
O Miguel tinha muita energia para brincar, mas quando se sentava à mesa ficava parado a olhar para o prato, depois lá agarrava no garfo para mexer na comida, sempre com um ar enjoado e a fazer caretas. Era um verdadeiro pastelão!
O Rafael não gostava nada da hora das refeições. Sabem porquê? Porque quando ele não comia tudo, os pais zangavam-se e lá começavam os terríveis castigos: ficar sem os cromos, sem a bola de futebol…
Já a Olívia comia muito bem, mas só comia aquilo que conhecia. Adorava arroz, massa, laranjas, bananas, pão... Mas tudo o que era novo, a Olívia recusava. Feijão, couves-de-bruxelas, anonas, alperces, pão de centeio, queijo fresco, massa integral... a boca da Olívia fechava-se a sete chaves!

Guerra e Paz junta à sua colecção de clássicos a obra «As Viagens de Gulliver»

Com nova tradução, chega às livrarias um dos maiores romances de sempre, As Viagens de Gulliver, de Jonathan Swift. O poeta T. S. Eliot chamou-lhe «colossal» e acrescentou: «Swift é o melhor escritor de prosa em inglês, o maior homem que já escreveu prosa em inglês.»

Texto sinóptico
As Viagens de Gulliver é um dos livros mais conhecidos da humanidade. Quem nunca ouviu falar deste gigante que um dia acorda rodeado de pequenos seres? Quem nunca viu uma das suas inúmeras adaptações fílmicas? No entanto, quem leu o livro? É a desgraça das grandes obras, sempre mais citadas que lidas.
Aqui, encontra-se o mundo. Gulliver, um inocente médico inglês, transforma-se num intrépido viajante. Naufragando em paragens desconhecidas, descobre civilizações fantásticas, excêntricas, mas também a cupidez, a inveja e a intriga. Os velhos vícios da humanidade, satirizados pelo olho cirúrgico de Swift, o grande ironista, numa prosa magnífica.
Mas nem só de sátira vive a literatura. A literatura é também sonho e imaginação. E isso não falta. Venha conhecer seres minúsculos e gigantes amáveis, ilhas voadoras habitadas por intelectuais absortos, gente que nunca morre, cavalos faladores que cultivam a razão e humanos bestiais; há ainda marinheiros, piratas e até um capitão português.
Uma obra única, uma personagem inolvidável, um livro a ler e a reler, uma e outra vez ainda.

Novos livros de Deepak Chopra, Osho e Lorna Byrne

Universo
de Deepak Chopra e Menas Kafatos
Deepak Chopra une forças com o eminente físico Menas Kafatos para explorar algumas das questões mais importantes e intrigantes acerca do lugar que ocupamos no mundo. O que acontece quando a ciência moderna atinge um ponto de viragem crucial que desafia tudo o que sabemos acerca da realidade? 
Nesta obra brilhante, oportuna e prática, Chopra e Kafatos afirmam que chegámos a esse ponto. Na era que se avizinha, o universo será totalmente redefinido como um «universo humano», radicalmente diferente do vazio frio e deserto onde a vida humana não passa de uma partícula no cosmos.
Outros títulos de Deepak Chopra já publicados pela Self Editora: Supercérebro; Cura Quântica; Peso Perfeito; Supergenes.

Uma Mente Independente
Aprender a viver em liberdade
de Osho
Osho dedicou a sua vida ao ensino e à prática da meditação, que ele não considerava um exercício espiritual, mas uma experiência científica: a meditação é a forma mais empírica e eficaz de conhecer o mecanismo da mente. E, conhecendo o funcionamento da mente, torna-se muito fácil identificar os mecanismos de ilusão e manipulação que nos rodeiam… Uma Mente Independente baseia-se em algumas das primeiras conferências feitas por Osho em retiros de meditação e é uma das suas obras mais provocantes e originais.



De Mãos Dadas com os Anjos
de Lorna Byrne
Lorna Byrne é uma mística de renome mundial que comunica com anjos desde muito jovem. As mensagens celestiais que transmite nos seus livros mudaram a vida de milhões de pessoas, levando-as a encontrar força e esperança na companhia angelical que todos nós temos - mesmo sem saber que a temos. Os anjos estão sempre connosco, apesar de nem todos os conseguirmos ver. 
Neste livro, a autora retoma o tema do best-seller clássico Anjos nos Meus Cabelos, relatando os seus primeiros encontros com os anjos, e revelando pela primeira vez como as almas dos seres amados regressam para nos transmitir o seu amor e orientação.

«Dança e Sonho», o segundo volume da trilogia 'O Teu Rosto Amanhã' do espanhol Javier Marías

Já está à venda o segundo volume de O Teu Rosto Amanhã, a obra-prima de Javier Marías, um dos autores de língua espanhola mais consagrados e lidos em todo o mundo, já distinguido com mais de vinte prémios internacionais e apontado como um forte candidato ao Premio Nobel de Literatura.

A trilogia iniciou-se com Febre e Lança e o terceiro volume, que ficará em breve disponível, a partir de 15 de Novembro, intitular-se-há Veneno e Sombra e Adeus.
Em Dança e Sonho (tradução de J. Teixeira de Aguilar) Marías deslumbra-nos uma vez mais com a sua prosa inquietante e leva-nos a meditar sobre a natureza humana.
Uma trama inteligentemente urdida, um mistério cirurgicamente manipulado, uma narrativa fascinante que é também um convite a olhar para dentro de nós.

«De longe, o melhor romancista espanhol da actualidade.»
Roberto Bolaño

«Javier Marías é, na minha opinião, um dos melhores escritores europeus contemporâneos.»
J.M. Coetzee

«Javier Marías é um escritor maravilhoso.»
John Banville

«Javier Marías é um dos maiores escritores vivos.»
Claudio Magris

«A Menina Silenciosa», o 4.º título de uma série policial nórdica de sucesso

Depois de Segredos Obscuros (2015), O Discípulo (2016) e O Homem Ausente (2016), de Michael Hjorth e Hans Rosenfeldt, o tão esperado 4.º volume da Série Sebastian Bergman (constituída por 5 títulos) será publicado em Portugal no próximo dia 2 pela Editora Suma de Letras. A Menina Silenciosa, obra finalista de prémio para o melhor thriller sueco do ano da Academia Sueca de Escritores de Thrillers,  foi traduzido para português por Jorge Pereirinha Pires, a partir de Den Stumma Flickan.
Sinopse
Suécia. Uma bonita casa branca, de dois andares. Dentro, uma família brutalmente assassinada - mãe, pai e duas crianças pequenas, mortos a tiro, em plena luz do dia. E o assassino escapou. Sebastian Bergman, com o Departamento de Investigação Criminal, tenta deslindar o crime, mas, com o principal suspeito morto, está num beco sem saída. Até que descobre que há uma testemunha do crime.
Uma menina, Nicole, viu tudo e fugiu, assustada. Quando a encontram, descobrem que o trauma do que viu a deixou totalmente muda, comunicando apenas através de caneta e papel. Os seus desenhos revelam um facto convincente e inescapável: ela viu o assassino. Bergman fica obcecado com o desafio de romper a parede de silêncio de Nicole. Enquanto isso, o assassino está apostado em garantir que ela fique calada.
Elogios
«Um romance trepidante que não foge do pesado custo emocional da culpa e da perda.»
Sunday Times

«Mais uma vez, um bem merecido sucesso: fascinante, ambicioso e cheio de reviravoltas inesperadas.»
Der Standard

sábado, 28 de outubro de 2017

Passatempo: «Sinal de Vida», de José Rodrigues dos Santos

https://www.facebook.com/silenciosquefalam/photos/a.187362988008873.45353.178784915533347/1519847724760386/?type=3&theater
Com o apoio da Gradiva, este blogue tem para oferecer um exemplar de Sinal de Vida, o novo romance de José Rodrigues dos Santos.

Sabe como podes participar, clicando aqui.

Depois do tríler de estreia «A Viúva», Fiona Barton está de regresso com «O Silêncio»

O Silêncio é o título do novo livro de Fiona Barton, a autora best-seller de A Viúva (2016, Ed. Planeta), com mais de 500.000 exemplares vendidos. Neste novo tríler psicológico arrebatador, concentrando-se no lado humano do jornalismo de investigação, a autora conta uma história sobre a vida de três mulheres e como destino as une e entretece um enredo de vida arrepiante.

Um enredo bem imaginado, narradores fortes e consistentes e personagens já conhecidas e de referência em A Viúva. A jornalista Kate e o detective Sparkes regressam para desvendar mais um grande mistério a par de uma envolvente e misteriosa mulher.

O livro está disponível a partir de dia 2 de Novembro.
Texto sinóptico
Pode-se enterrar a história, mas não se pode esconder a verdade.
Quando um parágrafo num jornal revela uma tragédia com décadas, a maioria dos leitores quase nem se apercebe. Mas, para três estranhos, é impossível ignorar...
Numa demolição em curso de uma velha casa de classe média em Londres, um trabalhador descobre um esqueleto minúsculo, que parece estar enterrado há anos. Para a jornalista Kate Waters, é uma história que lhe chama a atenção. Escreve uma notícia para o jornal onde trabalha, mas sente que faltam muitas respostas, e a pergunta que lhe surge é: quem é o bebé sepultado?
À medida que Kate investiga, descobre ligações com um crime que abalou a cidade há anos: um bebé recém-nascido foi raptado da maternidade de um hospital local e nunca foi encontrado. Os pais ficaram devastados pela perda e ausência de respostas.
Mas há muito mais nesta história e Kate investiga a casa e o passado das pessoas que moraram no bairro e que se recusam a falar do grande mistério do rapto da criança.
E Kate depressa se encontra na posse de segredos inesperados que surgem das vidas de três mulheres - e divididos entre o que ela pode e não pode contar...

Elogios da imprensa
«Fiona Barton escreveu de novo um livro magistral com O Silêncio,[...] conta a história de uma criança de uma forma única, como só ela consegue, brilhantemente.»
The Star Telegram

«Tenso, tentador e, muito, muito gratificante... definitivamente, uma das leituras obrigatórias
do ano.» 
Lee Child

Novo livro de António Damásio

A Estranha Ordem das Coisas
A vida, os sentimentos e as culturas humanas
de António Damásio
Sinopse
A resposta habitual a esta pergunta remete para a excecional inteligência humana, auxiliada por uma faculdade ímpar: a linguagem. Em A Estranha Ordem das Coisas, António Damásio proporciona uma resposta diferente. Ele afirma que os sentimentos - de dor, sofrimento ou prazer antecipado - foram as forças motrizes primordiais do empreendimento cultural, os mecanismos que impulsionaram o intelecto humano na direção da cultura. Além disso, propõe que os sentimentos monitorizaram o sucesso ou o fracasso das nossas invenções culturais e permanecem, ainda hoje, envolvidos nas operações subjacentes ao processo cultural, para o melhor e para o pior.

A interação favorável e desfavorável de sentimento e razão deve ser reconhecida se quisermos compreender os conflitos e as contradições que afligem a condição humana, desde os dramas humanos pessoais até às crises políticas.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Nova edição de «Madame Bovary» já chegou às livrarias

Madame Bovary
de Gustave Flaubert
Publicado pela primeira vez em 1857, Madame Bovary gerou grande polémica por causa dos temas abordados e da linguagem ousada. Viria a abrir o caminho ao romance moderno, tornando o autor, Gustave Flaubert, uma referência incontornável na história da literatura.

Ema Bovary é uma jovem bonita e requintada para os padrões provincianos da sociedade em que vive. Presa num casamento que a aborrece, aspira às grandes emoções que encontra nas páginas dos livros que lê compulsivamente. A vida, o marido e a sua imaginação não são suficientes; arranja um amante, e mais outro, mas nenhum é capaz de satisfazer os seus anseios. Revoltada com a sua vida, Ema perseguirá os seus sonhos, com consequências trágicas.

Madame Bovary é um romance atual sobre uma mulher iludida pelos livros e que tenta fugir ao tédio da realidade, do seu casamento e da sua família através de uma série de adultérios e de compras compulsivas.

Novas publicações com o selo Gradiva

A Estrambótica Aventura do Senhor Martius von Gloeden
O Caçador de Orquídeas
de Carlos Roberto Loiola

Romance vencedor do Prémio Literário Carlos de Oliveira 2016. O júri refere que «a obra se distingue pela sua capacidade de efabulação e trabalho sobre a linguagem, que reproduz ficcionalmente o discurso, as superstições e a visão do mundo de um camponês (caipira) de Minas Gerais. Destaca-se a riqueza compositiva e narrativa do romance, ambientado no Brasil imperial».

Sinopse
1860. Londres havia sido sacudida pela apresentação da Teoria da Evolução das Espécies. Charles Darwin era considerado, no meio científico, «O Grande Charlatão».
Enquanto isso, na Academia de Ciências eram registadas centenas de nomes extravagantes, como Oncidium pubes, Maláxis pubéscens (que é coberto de pêlos), Maxillária porrécta (com ápice alongado), Epistéphium subrépens (que se introduz por baixo).
Estranhamente, todos estes nomes científicos invulgares designavam géneros ou espécies daquela que era considerada a mais erótica de todas as flores, a flor de Eros: a orquídea. Concluiu-se, portanto, que só poderia ser obra de Sir Martius von Gloeden.

Para o Infinito
Horizontes da Ciência
de Martin Rees

Sinopse
Uma das mentes científicas mais brilhantes do nosso tempo reflecte sobre o papel da ciência no século XXI a partir de conferências que fez para a BBC. A ciência é muitas vezes vista como um domínio obscuro e difícil, inacessível ao público em geral. Neste livro inspirador, Martin Rees advoga uma melhor comunicação entre investigadores e leigos.
Nos debates sobre saúde, energia, transportes e outras questões vitais, os cidadãos devem possuir noções de ciência, em vez de confiar nos especialistas e nos políticos. Rees diz-nos que para enfrentar os nossos maiores desafios – do crescimento populacional às alterações climáticas – é necessária uma perspectiva global e a longo prazo. Fala sobre descobertas futuras, além de explicar os limites da ciência, e relembra-nos que a ciência deve ser uma fonte de prazer e maravilha para toda a gente.


Mimi e o Marciano
de Korky Paul e Laura Owen

Sinopse
Ursos e ladrões,
pedalar aos trambolhões,
o Rogério na televisão
e um marciano no chão…

Quatro novas aventuras da Mimi, a simpática bruxa que tem cada vez mais fãs em Portugal. Ursinhos de peluche e ladrões na mesma história só podia dar confusão. Mas para a Mimi isso não é nada, comparado com andar numa superbicicleta com vontade própria. Estranho mesmo é o Rogério se armar em gato de televisão e, mais ainda, aquele ser esquisito que a Mimi vê aterrar na escola. Alguém sabe marcianês?

Clica aqui e conhece outros livros dos autores.

Outras novidades de Outubro, a cargo da Gradiva:
Um Futuro para o Socialismo Marxista, de John E. Roemer
Um Racismo Imaginário - Islamofobia e Culpabilidade, de Pascal Bruckner
Sinal de Vida, de José Rodrigues dos Santos

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

O escritor brasileiro Julián Fuks vence Prémio Literário José Saramago

O escritor Julián Fuks (n. 1981, São Paulo) conquistou a edição de 2017 do Prémio Literário José Saramago, com a obra A Resistência, editada em Fevereiro de 2016 pela Editora Companhia das Letras.

A Resistência, o 4.º romance do autor que também é crítico literário, é um romance semi-autobiográfico que foca a demanda de um filho de refugiados da ditadura argentina em busca do passado da sua família, do seu irmão adoptado e da sua própria história de vida.

Sinopse
O ano de 1976, na Argentina, ficou marcado pelo início da Guerra Suja, período de terror protagonizado pelo regime da ditadura militar, de que resultaram, entre muitos outros horrores, centenas de crianças desaparecidas.
Na sequência do golpe militar, um jovem casal de psicanalistas decide deixar as trincheiras da resistência e exilar-se no Brasil, levando consigo uma criança que adoptaram entretanto.
Em terras brasileiras, o primogénito adoptado ganha irmãos. À medida que cresce a família, complicam-se as relações e adensa-se o mistério da identidade do primeiro filho.
Cabe a Sebastián, o filho mais novo do casal e narrador desta história, tentar compreender e reconstruir o passado da família para poder reescrever o seu futuro.
Numa poderosa autoficção, Julián Fuks, jovem autor multipremiado, serve-se de palavras aparentemente simples e directas para reconstruir o complexo passado íntimo de uma família e de um país. Uma narrativa singular e engenhosa, em que emoção e inteligência andam de mãos dadas, em que facto e ficção não são exactamente o que aparentam.

Excerto
«Ele é adotado, foi o que eu disse alguma vez a uma prima que teimava em ressaltar como éramos diferentes, ele e eu, seus cabelos mais escuros e encaracolados, seus olhos tão mais claros. Na minha declaração não havia maldade ou despeito, eu acho, eu devia ter uns cinco anos de idade – mas, se agora me sinto impelido a me defender, talvez de fato estivesse acometido por alguma crueldade inocente, que até hoje trato de velar. Estávamos num carro dirigido pelo meu pai, e minha mãe só podia estar ausente porque meu irmão ocupava o banco da frente, não sei se acompanhando a conversa ou perdido em pensamentos insondáveis. Fez-se um silêncio imediato. Posso ter levado um cutucão discreto da minha irmã, que imagino sentada ao meu lado, ou a pontada foi apenas o incômodo que senti ao perceber que havia errado, incômodo que tantas vezes senti sem que ninguém me acotovelasse. Tão contundente foi aquele silêncio que dele me lembro até hoje, entre tantos silêncios pouco memoráveis.»

Treze novos livros infanto-juvenis

De Jimmy Liao, um dos ilustradores asiáticos mais reconhecidos a nível mundial, a Kalandraka fez chegar às livrarias esta semana um novo álbum. Depois de Desencontros (2014), Segredos na Floresta (2015), O Peixe Que Sorria (2015) e Noite Estrelada (2016), Esconder-se num Canto do Mundo chega agora a Portugal.
Para aqueles que têm a sensação de que o mundo não funciona, há um canto onde se podem esconder e aí encontrar a tranquilidade e o silêncio em forma de notas de música. Esconder-se num canto do mundo é mais uma proposta de Jimmy Liao que toca de forma sensível tanto a beleza como a tristeza da vida.
Para quem gosta de livros interativos e gosta de seguir as pisadas de heróis, não pode deixar de procurar nas livrarias O Museu em Pijamaram, o mais recente título dos criativos franceses Michaël Leblond e Frédérique Bertrand, o quinto que a Kalandraka publica.
Em O museu em pijamarama, o já conhecido herói empreende uma visita ao museu, toda ela feita de divertidas movimentações, para compreender a mecânica de algumas obras essenciais da arte moderna e contemporânea.
Um livro lúdico e interativo para leitores de todas as idades.
Outros álbuns: Nova Iorque em pijamarama; Luna Parque em pijamarama; Paris em pijamarama; Os meus robôs em pijmarama.


De Eric Carle, autor de inconfundíveis álbuns como Amigos, O Senhor Cavalo-marinho, Sonho de neve e O grilo muito silencioso, todos publicados pela kalandraka, chegou recentemente às livrarias um novo título com desafios divertidos para pré-leitores e primeiros leitores: Da Cabeça até aos Pés (tradução de Ana M. Noronha).
Os animais mexem os seus corpos de formas muito diferentes - tal como os humanos. Podemos observar os gorilas, os camelos e outros animais a bater no peito, a dobrar os joelhos, a arquear as costas e até a curvar o pescoço… Porém, o mais divertido é se o leitor responder ao desafio deste livro, juntando-se e imitando o pinguim, a girafa o búfalo e outros mais. Da cabeça até à ponta dos pés, irá certamente retorcer-se, balançar-se e rir à gargalhada, à medida que os for tentando acompanhar! 

Uma nova edição agora cartonada e canteadada da obra Queres Brincar Comigo?, de Xosé Ballesteros e Eric Carle (tradução: Isabelle Buratti) também encontra-se já ao dispor de novos leitores. Referir que este livro é recomendado, pelo Plano Nacional de Leitura, para Educação Pré-Escolar, destinado a leitura em voz alta.
«Era uma vez um ratinho que um dia saiu de casa à procura alguém com quem brincar. - Olá amigo, queres brincar comigo?»
O colorido das ilustrações, a variedade das formas representadas pelas colagens e a expressividade das personagens são traços inconfundíveis do estilo de Eric Carle. O texto, por sua vez, expressamente concebido por Xosé Ballesteros para acompanhar as imagens, segue a estrutura encadeada do desenho. E é assim que o ratinho - o mais pequeno da história - sai à procura de um amigo com quem brincar, um animal cuja identidade os pequenos leitores são desafiados a descobrir, ao virar de cada página, pelo seu apêndice final: plumas, escamas, crina ou cauda...


Depois do prestigiado álbum Em Que Pensas Tu?, de Laurent Moreau, a Editora O Bichinho de Conto publicou no passado dia 20 uma história onde os obstáculos e os medos ajudam a crescer. Elefantes não Entram, com texto da escritora americana Lisa Mantchev e ilustrações da coreana Taeeun Yoo, recebeu em 2016 uma menção honrosa nos NCTE Charlotte Huck Awards na categoria de melhor livro infantil.
Através de metáforas e comparações, esta narrativa realça a importância que as dificuldades e os obstáculos têm no crescimento humano. A palavra AMIZADE cresce a cada virar de página e os obstáculos e medos superam-se quando os amigos caminham juntos, porque é isso que os amigos fazem uns pelos outros. A multiculturalidade e as várias espécies convivem em harmonia, acrescentando valor ao olhar sobre os outros, questionando sempre a nossa capacidade de aceitar, resolver, fazer, incluir, acolher, fazer acontecer e criar universos onde "TODOS SÃO BEM-VINDOS".


42 são as emoções que podem ser descobertas no livro Emocionário (Diz o que Sentes), dos espanhóis Rafael R. Valcarcel e Cristina Nuñez Pereira. Esta obra chancelada pela Texto Editores, nas palavras dos autores, «oferece uma oportunidade integradora ao ser humano, desde a mais terna infância, porque o ajuda a conhecer suas emoções e a dialogar sobre seus sentimentos»
Até onde consegues chegar com as tuas asas?
As asas dos pássaros têm penas. As asas das pessoas têm palavras. Mas nem todas as palavras te ajudam a elevares-te. Só as palavras que expressam claramente como te sentes aumentam as tuas possibilidades de voar. O Emocionário é um dicionário de emoções que te impulsionará para um voo muito especial… E vais ver que nunca mais quererás deixar de bater as asas.

Com tradução para português por Luísa Costa Gomes, O Urso e o Piano, do aclamado autor e ilustrador de livros infanto-juvenis David Litchfield, é uma das novidades da Editora Booksmile. Recebeu o seguinte elogio do Huffington Post UK: «Uma história comovente e maravilhosamente ilustrada sobre música, amizade e aventura.»
Um dia, um ursinho encontra na floresta uma coisa estranha…
É grande, parece uma caixa e tem teclas que fazem PLONC!
A partir do momento em que descobre que a coisa estranha produz sons magníficos, ele embarca numa viagem que o leva para longe de casa.
Num piscar de olhos, o urso vai parar a uma terra nova e maravilhosa, onde o ar está repleto de belos sons e onde a fama lhe abre os braços.
No entanto, apesar do sucesso alcançado, ele sente falta do que deixou para trás…


Também é muito recente a publicação Vou Amar-te para Sempre, um livro sobre autonomia e a inquebrável ligação entre pais e filhos, de Owen Hart e Sean Julia, e selo da Editora Minutos de Leitura.
O Ursinho vai partir com a mãe para conhecer o mundo.
Através das várias estações do ano, os dois percorrem terras distantes lindas e encontram novos animais.
Há tanto por descobrir!
"Um dia terás uma grande aventura só´ tua", diz a Mamã Ursa ao filhote.
Mas será o seu amor capaz de o alcançar quando estiver longe?


Com texto de Orianne Lallemand e ilustrações de Éléonore Thuillier, O lobo que queria ser um super-herói é o 10.º título da série infantil publicada em Portugal pela Zero a Oito que tem como protagonista um lobo muito sui generis.
Neste livro, o nosso Lobo tem uma ideia brilhante: tornar-se um super-herói! Para isso, precisa de um supernome, de um superfato e, claro, de fazer boas ações! Ele não
vai parar até encontrar alguém para salvar. Será isso tarefa fácil para um lobo superdesajeitado? Uma coleção que fala de sentimentos e que convida a sonhar através do simples prazer da leitura.


No mês passado, a Editora Ponto de Fuga publicou no nosso país o primeiro título da escritora americana Gertrude Stein, A Autobiografia de Alice B. Toklas. Esta semana ficou disponível um outro livro da autora, dedicado ao público juvenil: O Mundo é Redondo | The World is Round (uma edição bilingue), ilustrado por Rachel Caiano e traduzido para português por Luísa Costa Gomes.
«Rosa é uma rosa é uma Rosa» é um dos mais icónicos estribilhos da literatura infantil. Curiosamente, o livro de que provém nunca tinha sido editado em Portugal. Até agora. Quase oitenta anos após a publicação original de O Mundo É Redondo (The World Is Round), a Ponto de Fuga inclui na sua coleção infantojuvenil, com texto bilingue, este clássico absoluto de Gertrude Stein (1874-1946). Num magistral trabalho de tradução, que a originalidade rítmica e poética da obra tornava quase impossível, Luísa Costa Gomes verteu para português, mantendo o estilo inconfundível de Stein, esta tocante exploração dos conceitos de identidade e individualidade, com os seus inusitados jogos de palavras e sons. Inspirando-se nas cores e motivos estabelecidos pela autora, e originalmente concretizados por Clement Hurd, a premiada ilustradora Rachel Caiano imprime a sua marca visual num livro belo, arrojado e desafiante, como as próprias crianças.


Para os seguidores da famosa série O Diário de um Banana, o décimo segundo volume já está ao alcance. Intitula-se Põe-te a Milhas!.
Junta-te ao Greg e à sua família (de loucos!) em mais uma viagem inesquecível! Para fugir ao stress das férias, os Heffleys embarcam numa aventura hilariante. Em vez de passarem o Natal em casa, os pais do Greg decidem pôr-se a milhas da confusão. Eles só queriam umas férias calmas, sem imprevistos e recheadas de paz.
O problema é que, com os Heffleys, raramente as coisas correm como planeado, e esta «viagem de sonho» vai transformar-se num verdadeiro pesadelo.
Não acreditas? Então, espera só para ler...


Para os adictos em Minecrafty, Trocar Gato por Lebre! - Livro 5 - Diário de um Minecrafter, é o livro indicado! Numa publicação, com tradução de Ana Vitória Abreu Cardoso, a cargo da Editorial Presença, neste novo volume desta série bestseller, eis algumas das descobertas que Steve irá fazer: É melhor evitar os mobs esfomeados!; As cenouras podem ter várias finalidades!; Às vezes, os mobs mais fofinhos são os mais perigosos!
Trocar Gato por Lebre transporta-te ao universo do Minecraft para mais uma aventura hilariante na companhia do Steve: desta vez, ele vai atravessar a Floresta Florida e a Grande Muralha das Hortas, vai conhecer estranhos aldeões e fazer amigos inesperados.


Para os saudosistas: O Grande Livro do Vitinho, de José Maria Pimentel, com o selo das Edições Dom Quixote.
Foram anos e anos a embalar a ida para a cama de uma geração inteira de meninas e meninos de palmo e meio.
Foi esta a missão em que o Vitinho se tornou inesquecível, a tal ponto que ainda hoje suscita manifestações espontâneas de terna cumplicidade entre eles, mesmo agora que são gente feita, com responsabilidades entre mãos e a estrear-se como pais.
Este fenómeno tribal que caracteriza a Geração Y acabou por lhes atribuir também a designação de Geração Vitinho. Este livro é-lhes particularmente dedicado, com o propósito de lhes contar todo um lado inédito da história em que participaram tão directamente.
Nesta visita guiada aos bastidores do Vitinho, aproveito para lhes apresentar (e homenagear) todos aqueles que foram tornando possível esta prolongada epopeia de produções. Aqueles, afinal, a quem o Vitinho (paradoxalmente) obrigou a passarem noites e noites em claro… 

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

O melhor da prosa e poesia de Jorge Luis Borges

Organizada pelo próprio Jorge Luis Borges (1899-1986) no final da vida, Nova Antologia Pessoal, uma edição da Quetzal, disponível nas livrarias desde o passado dia 20, é uma das notáveis compilações de textos do poeta, que reuniu neste livro alguns dos seus melhores textos de prosa e o essencial da sua obra poética.

Além de ser o décimo primeiro volume que a Quetzal publica no âmbito da coleção de obras de Jorge Luis Borges, esta é uma edição especial. Não só pelo seu conteúdo, ao reunir a escolha pessoal do grande Mestre, como por se tratar de uma edição com cuidados gráficas adequados à solenidade e importância da obra.

Sinopse
Brilhante na sua forma, precisa no conceito, feliz e amável na sua expressão, a poesia de Jorge Luis Borges é um legado dos deuses da poesia aos melhores leitores do género - e aos admiradores do grande autor argentino e universal. O mesmo se pode dizer da sua prosa. Este livro reúne os poemas, os contos, os relatos e os ensaios que Jorge Luis Borges escolheu na fase final da sua vida. É uma antologia definitiva, grandiosa, convocando os melhores versos e a melhor parte da sua obra em prosa ficcional e não-ficcional. Constitui um testamento literário do autor de Ficções, de O Livro de Areia e de O Aleph, um repositório da magia que atravessa a sua obra, um tributo ao mais clássico e portentoso da obra de Borges - o grande mago da literatura e dos seus enigmas.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Humor em dose dupla, pela Cultura Editora

O Que Vai na Cabeça de um Guna, da autoria de um dos comediantes mais vistos do Youtube, Alexandre Santos, e Chapadas à Padrastro, de Guilherme Duarte (autor de «Por Falar Noutra Coisa» – Melhor blog de 2016), são duas apostas humorísticas que a Cultura Editora publica já no final desta semana.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Livros de F. Scott Fitzgerald e de Charles Bukowski entre as novidades editoriais

Silêncio na Era do Ruído
de Erling Kagge
Uma meditação sobre o poder do silêncio. Neste livro pessoal e atmosférico (e cheio de charme), entre o meditativo e o prático, Erling Kagge coloca três questões: 1) O que é o silêncio? 2) Onde pode ser encontrado? 3) Por que razão é mais importante do que nunca? O que se segue são 33 tentativas de resposta a estas perguntas. Erling Kagge aborda um tema crucial para os nossos tempos e parte das suas extraordinárias experiências de vida para seguir por uma miríade de caminhos diferentes. «Não se trata de virar as costas ao que nos rodeia», diz, «mas de ver o mundo de uma forma mais clara».


A Livraria dos Destinos
de Veronica Henry
No mundo da Nightingale Books serve-se romance e a cura para um coração partido. Este é o sítio onde as melhores histórias não se encontram apenas nas páginas dos livros, mas nas vidas dos que por lá passam.
Depois da morte do pai, Emilia regressa a Peasebrook para gerir a velha livraria da família, Nightingale Books — o sonho de qualquer bibliófilo e um refúgio para os moradores desta pequena vila. Mas agora que está responsável pelo seu futuro, Emilia terá de afastar potenciais compradores, ao mesmo tempo que tenta cumprir o último desejo do pai.
Uma livraria extraordinária com pessoas extraordinárias…

Talvez para sempre
de José Gameiro
Talvez Para Sempre é uma porta entreaberta que nos permite ver o amor por dentro. Conta-nos histórias, muitas delas baseadas em situações reais, sobre a procura da felicidade a dois, as emoções vividas em segredo, a esperança da paixão, a inevitabilidade do quotidiano e da rotina.


Pão com Fiambre 
de Charles Bukowski
Naquele que é amplamente considerado o melhor de todos os seus romances, Charles Bukowski descreve os longos e amargos anos de uma juventude vivida à margem, através da voz inconfundível de Henry Chinaski, o seu famoso alter-ego. Parcialmente autobiográfico, mas absolutamente cómico, trágico e nostálgico Pão com Fiambre tornou-se, quase de imediato, um clássico da literatura americana contemporânea.


Morreria Por Ti e Outras Histórias Esquecidas
de F. Scott Fitzgerald
Este livro é um acontecimento literário: reúne dezoito textos inéditos — até agora, perdidos ou esquecidos - do grande F. Scott Fitzgerald, autor do clássico incontornável O Grande Gatsby e de Terna é a Noite. Desconhecidas dos leitores por incompreensão dos editores de então, esquecidas nos arquivos de bibliotecas e de colecções privadas, ou perdidas na tumultuosa vida de Fitzgerald nos anos de 1930, estas dezoito histórias agora devolvidas à literatura são um eco da nostalgia contida no famoso lamento de Gertrude Stein quando se referiu à «geração perdida» de que F. Scott Fitzgerald era figura cimeira. Estas páginas devolvem-nos um Fitzgerald livre, em pleno fulgor criativo, liberto das amarras da censura e da esterilização narrativa imposta pelos seus editores contemporâneos. Com a beleza e a genialidade que lhe são características, Fitzgerald explora temas familiares com uma frescura surpreendente: os sonhos de glória e de êxito, a solidão das pessoas normais e das celebridades num mundo em crise, o meio do cinema e os seus costumes, a doença, a loucura.


As Lamas do Mississípi
de Hillary Jordan
Estamos em 1946 e a citadina Laura McAllan tenta criar os filhos na quinta do seu marido no Mississípi - para ela, um lugar parado no tempo e assustador. Entretanto, no meio das lutas familiares, dois jovens regressam da guerra. Jamie McAllan, cunhado de Laura, é tudo o que o seu marido não é - charmoso, bonito e assombrado pelas memórias dos combates. Ronsel Jackson, filho mais velho dos caseiros negros que vivem na quinta dos McAllan, regressou a casa como herói de guerra. No entanto, independentemente da sua bravura, ele terá de enfrentar batalhas ainda maiores perante o racismo e a intolerância dos seus compatriotas.
É a improvável amizade destes irmãos de armas que guia os acontecimentos, à medida que somos imersos nas lealdades familiares e testemunhamos as paixões e ódios que irrompem no seio de uma comunidade onde a tragédia não se fará esperar…


Chegada a Hora
de Jeffrey Archer
Chegada a Hora é o penúltimo livro das Crónicas dos Clifton e, à semelhança dos anteriores, todos eles nº 1 do top britânico, mostra o extraordinário talento de Jeffrey Archer como contador de histórias. O bilhete de suicídio com que abre este livro tem consequências arrasadoras para Harry e Emma Clifton, assim como para Giles Barrington e Lady Virginia. Giles tem de decidir se vai desistir da política para tentar salvar Karin, a mulher que ama, do outro lado da Cortina de Ferro. Mas será que Karin o ama de facto ou será uma espia? Lady Virginia está arruinada e só encontra uma solução para os seus problemas financeiros quando conhece Cyrus T. Grant III, um americano que está em Inglaterra para ver o seu cavalo correr no Royal Ascot. Sebastian Clifton é agora CEO do Farthings Bank, uma posição que absorve todo o seu tempo e energia. Até conhecer Priya, uma bela jovem Indiana que já tem noivo escolhido pelos pais. Harry Clifton continua decidido a tirar Anatoly Babakov de um gulag na Sibéria, mas eis que acontece algo inesperado, que nenhum dos dois poderia ter previsto.


Vidas Finais: As Sobreviventes
de Riley Sager
Para sobreviver a um assassino, é preciso ter um instinto assassino.
Há dez anos, Quincy Carpenter, uma estudante universitária, foi a única sobrevivente de uma terrível chacina numa cabana onde passava o fim de semana com amigos. A partir desse momento, começou a fazer parte de um grupo ao qual ninguém queria pertencer: as Últimas Vítimas. Desse grupo fazem também parte Lisa Milner, que perdeu nove amigas esfaqueadas na residência universitária onde vivia, e Samantha Boyd, que enfrentou um assassino no hotel onde trabalhava.
As três raparigas foram as únicas sobreviventes de três hediondos massacres e sempre se mantiveram afastadas, procurando superar os seus traumas. Mas, quando Lisa aparece morta na banheira de sua casa, Samantha procura Quincy e força-a a reviver o passado, que até ali permanecera recalcado.
Quincy percebe, então, que se quiser saber o verdadeiro motivo por que Samantha a procurou e, ao mesmo tempo, afastar a polícia e os jornalistas que não a deixam em paz, terá de se lembrar do que aconteceu na cabana, naquela noite traumática.
Mas recuperar a memória pode revelar muito mais do que ela gostaria.


Noite Cega
de Ragnar Jónasson
Na pequena aldeia islandesa de Siglufjördur, o jovem polícia Ari Thór Arason procura refúgio do seu passado e dos horrores que nele se escondem. Apesar do isolamento da aldeia, acessível apenas por um pequeno túnel nas montanhas, mantém uma relação difícil com os aldeões, que o acham estranho. Exausto, e com a sua vida privada a intrometer-se no trabalho, Ari Thór mete baixa.
Com Ari Thór ausente, o polícia que o substitui, e seu único colega, é assassinado à queima-roupa, a meio da noite, numa casa deserta. Cabe agora a Ari Thór deslindar um caso que rapidamente se torna muito mais complicado do que parecia: a comunidade fecha-se, a política local dificulta tudo, e o novo presidente da Câmara envolve-se no caso muito além da sua função.
A investigação vai levar Ari Thór até bem longe da aldeia. O que terá a ala psiquiátrica de um hospital em Reiquiavique a ver com este crime? O que será que todos em Siglufjördur estão a tentar esconder? E conseguirá Ari Thór aguentar uma investigação tão exigente?


Como Parar o Tempo
de Matt Haig
O meu nome é Tom Hazard. Pareço ter 40 anos, mas não se deixe iludir… sou muito mais velho do que isso. Séculos mais velho. E este é o meu perigoso segredo.
Fui contemporâneo de Shakespeare, vivi em Paris nos loucos anos 20, cruzei os mares de uma ponta a outra. Eternamente a fugir do meu passado e à procura daquilo que me foi roubado. Mas sem identidade ou raízes, a vida eterna pode tornar-se um vazio.
Numa tentativa de voltar à normalidade, arranjei trabalho como professor de História. (Quem melhor para relatar o passado do que alguém que o viveu realmente?) Talvez desta forma consiga perder o medo de viver.
A única regra para pessoas como eu é nunca se apaixonarem. Infelizmente, descobri isto tarde demais.
Escrito com alma e coração, Como Parar o Tempo celebra aquilo que nos torna humanos e ensina-nos uma verdade universal: a vida deve ser vivida sem medos.


O Rapaz Que Contava Histórias
de Zana Fraillon
As histórias não podem ser aprisionadas.
Subhi é um rapaz cheio de sonhos. Desde que nasceu, vive com a mãe e a irmã num campo de detenção permanente de refugiados.
Nunca conheceu nada para lá das cercas e das tendas de lona, mas a sua imaginação não tem limites.
Todas as noites, Subhi ouve o longínquo canto das baleias e escuta o que os pássaros vêm sussurrar-lhe ao ouvido. As histórias que ouve, que lê e que conta tornam-se o centro da sua vida.
Até que, um dia, Subhi conhece Jimmie, uma menina que vive do lado de lá da cerca de arame. Ela traz consigo um caderno escrito pela sua mãe, já falecida. Mas Jimmie não conhece as letras e é Subhi que lhe lê as histórias daquele livro tão especial e mágico.
Cada conto dá lugar a uma revelação. Cada revelação dá lugar a novas histórias contadas dos dois lados da cerca.
Pelo caminho, uma amizade profunda vai crescendo, trazendo consigo o conforto e a coragem de que Subhi e Jimmie vão precisar até conquistarem, finalmente, a liberdade.


O Novo Aluno
de Tracy Chevalier
Chegado à sua quarta escola em seis anos, Osei Kokote, filho de um diplomata, sabe que precisa de um aliado se quiser sobreviver ao primeiro dia de aulas. É uma sorte dar-se tão bem com Dee, a rapariga mais popular da escola. Mas há um colega que não suporta aquela relação: Ian decide destruir a amizade entre o rapaz negro e a menina de ouro. Chegados ao fim do dia, a escola e os seus principais atores (professores e alunos) nunca mais serão os mesmos. A tragédia de Otelo é transportada para o recreio de uma escola suburbana de Washington nos anos 70, onde os miúdos se apaixonam e desapaixonam antes da hora de almoço e praticam um racismo casual que vem de casa e dos professores.

Desapareceram...
de Haylen Beck
Audra anseia chegar à Califórnia. Finalmente arranjou coragem para fugir do marido que a maltrata, podendo assim proporcionar a si e aos seus dois filhos um novo começo. Juntamente com Sean e Louise, atravessa o país, por estradas secundárias, discretamente e com toda a cautela para não chamar a atenção.
Quando um inquietante xerife a manda parar em pleno deserto do Arizona, Audra faz tudo para se manter calma e esconder o nervosismo. Tem mesmo de o fazer. Mas, ao revistar a carrinha de Audra, o xerife tira da bagageira um saco com marijuana que ela nunca tinha visto e o seu estado de nervos transforma-se em pânico. Ela julga que aconteceu o pior. Mas está enganada. O pior ainda está para vir.
Com um ritmo de tirar o fôlego e de um suspense implacável, Desapareceram... é um thriller perfeito sobre a luta de uma mulher contra o mal inimaginável, para salvar o que há de mais importante na sua vida. Chocante até à última página.