terça-feira, 2 de janeiro de 2018

«O Gigante Secreto do Avô», de David Litchfield

Editora: Booksmile
Data de publicação: 13/11/2017
N.º de páginas: 32
Com muita expectação esperava o segundo livro infantil de David Litchfield. Após a sua estreia arrebatadora com O Urso e o Piano, as fasquias em torno da sua próxima obra era grande. Com O Gigante Secreto do Avô, este promissor jovem autor e ilustrador volta a surpreender, apresentando uma história tão terna e emocionante quanto a anterior, vencedora do Waterstones Children’s Book Prize para Melhor Livro Ilustrado de 2016.
A história tem como protagonistas um avô e o seu neto… e um gigante!
Quando o avô de Billy conta-lhe que existe na sua aldeia um gigante com «mãos grandes como tampos de mesa e pés do tamanho de botes a remos», ele não acredita. A criança, embora na idade da inocência e ingenuidade, sabe que um gigante é muito grande para se manter escondido.
Para convencer o neto de que esse gigante, que se mantém sempre secreto, existe de verdade, ele conta-lhe algumas boas acções que ele fez ao longo do tempo, ajudando as pessoas da aldeia quando elas estavam em perigo. Por exemplo, foi o gigante que impediu que um barco se afundasse durante uma tempestade; foi ele que, dada a sua estatura gigantesca, salvou o cão de Billy de ficar preso no telhado; também foi ele que, dada uma ventania, evitou uma árvore de sucumbir.
O gigante era uma espécie de benfeitor, mas só o avô sabia da sua existência, porque as pessoas têm medo dele e ele fica triste, sendo por isso que ele anda escondido, porque «as pessoas têm medo das coisas diferentes».
Quando Billy finalmente conhece aquele homem de estatura muito elevada, ele compreende que «o gigante não era apenas um gigante. Também era uma pessoa.»

O Gigante Secreto do Avô, título traduzido para português por Luísa Costa Gomes, é um livro que explora de forma acutilante as diferenças entre pessoas. O autor, com o auxílio de brilhantes ilustrações — de cores vívidas e de todas as tonalidades, juntando o desenho/pintura livre a alguns efeitos digitais — narra de forma singela e com agudeza uma história simples cuja mensagem central é aceitar a diferença e enfrentar os medos infundados.
Um reparo: às vezes uma única palavra pode fazer diferença. Quando se trata de uma obra infantil, todas as palavras contam, ainda mais. Quem fez a revisão do texto desta obra, não deu por falta da proposição de que falta na frase: «(...) pernas do tamanho colunas (...)».

Sem comentários: