sábado, 7 de dezembro de 2013

«Mentiras no Divã», de Irvin D. Yalom

Ano de Publicação: 2007
Nº de Páginas: 384

Romance publicado originalmente em 1996, Mentiras no Divã conta o modus operandi terapêutico de três psiquiatras: Dr. Seymour, Dr. Marshal e o jovem Dr. Ernest Lash. O primeiro, é um terapeuta experiente mas devido aos métodos pouco ortodoxos que usa nas suas consultas, e depois de ter sido acusado por uma paciente de assédio e promiscuidade, é afastado da presidência da Associação Psiquiátrica Americana, e proibido de exercer a profissão. O segundo, é um homem com uma vida afectiva desequilibrada, e um verdadeiro dependente do estatuto que o dinheiro lhe proporciona; é também o supervisor dos casos terapêuticos do pouco experiente Dr. Ernest, que lhe solicita uma segunda opinião sobre qual o melhor método a utilizar com os seus pacientes. Mas Ernest, sendo jovem tem já uma visão e uma teoria terapêutica que é pioneira, que consiste em haver uma maior proximidade, honestidade e informalidade nas sessões. Esta abordagem fortalecerá a aliança terapêutica analista-analisando e contribuirá para uma bem-sucedida cura.
Neste livro as fraquezas destes psiquiatras possuidores de personalidades diferentes são colocadas em jogo de forma a expor que nem sempre os métodos convencionais são os mais apropriados, e que cada paciente é um caso.
Cativante e simultaneamente provocante, Mentiras no Divã mostra-nos os bastidores da psicoterapia e os seus diversos procedimentos de análise, que tanto pode curar os pacientes como os próprios terapeutas. O autor de A Psicologia do Amor procura neste romance sondar as profundezas da mente humana nas mais ínfimas ramificações. As brilhantes reflexões que em Mentiras no Divã encontramos, faz de Irvin D. Yalom um dos escritores mais importantes da ficção psicológica contemporânea. Uma leitura que informa, instiga e faz reflectir. Lying on the Couch (título original) perde apenas um pouco quando, em certas partes, a narrativa é entrecruzada nas vozes dos diferentes narradores, tornando-se pouco fluida e confusa.

7 comentários:

Melissa Nogueira disse...

Parece tão bom! QUERO!

kassie disse...

Irvin D. Yalom é um dos meus escritores favoritos. O seu livro, Quando Nietzsche Chorou, é magnífico; A Cura de Schopenhauer e O Problema Espinosa são também excelentes. Este já li e não é dos meus preferidos do autor, o que não significa que seja mau... este autor não sabe escrever mal :) Gostei, mas menos do que dos outros.

Ana disse...

Parece ser bastante interessante, vou procurar!!

Fátima Martinho disse...

deve ser muito interessante, vou procurar ler nos próximos tempos!

Raquel Lima disse...

Um livro que despertou curiosidade :)

Menina disse...

Fiquei com imenso interesse em ler este livro! Vai para a minha lista de livros que quero ler ;)

Tó-zé disse...

Parece bem interessante este livro, vou colocar na minha to read list!