quarta-feira, 28 de maio de 2014

«N ou M?», de Agatha Christie

Editora: ASA
Data de Publicação: 27/05/2014
N.º de Páginas: 240

N ou M?, romance publicado pela primeira vez em Portugal no início da década de 80, com o título Tempo de Espionagem, inserido na famosa colecção Vampiro Gigante, pela Livros do Brasil, é um livro de 1941, a terceira trama protagonizado pelo casal de detectives Tommy e Tuppence Beresford (O Inimigo Secreto (1922) foi o livro onde Agatha Christie apresentou pela primeira vez o casal aos leitores).
Quando um agente secreto inglês ao tentar investigar a presença de nazis que se faziam passar por cidadãos normais em Inglaterra, é morto na Escócia, durante a Segunda Guerra Mundial, as suas últimas palavras proferidas são: «M ou N». Supostamente, essas letras indicam dois suspeitos da conspiração, um casal de infiltrados no Hotel Sans Souci, situado a beira-mar. Grant, o agente responsável pela operação secreta de Sua Majestade, não querendo levantar suspeitas enviando outros agentes secretos, lembra-se de convidar o casal de detectives mais informal que conhece, e que estavam a desfrutar da sua reforma precoce: Tommy e Tuppence. Já hospedados no hotel, mas sob identidade oculta, Mr. Meadowes e Mrs. Blenkensop, o casal finge não se conhecer. Todos os hóspedes de Sans Souci aparentam ter passados e ligações apátridas, mas como sempre, nem tudo o que aparenta, é. Espionagem, rapto, homicídio, tudo acontece neste policial engenhoso.
N ou M? revela abundantes voltas e reviravoltas na acção, personagens bem construídas e mascaradas, — G. K. Chesterton dizia que um bom policial «é um baile de máscaras, em que toda a gente aparece disfarçada de outra pessoa» — e emoções inesperadas na trama. Christie soube elaborar várias pistas falsas com maestria, enganando, como é apanágio nos seus melhores policiais, os leitores.

4 comentários:

Catarina disse...

Livros tão antigos e ainda tão bons de reler.

Maria Alexandra disse...

Há tanto tempo que quero ler este livro!

Cristina Lima disse...

Este eu gostava de ler :)

Jorge Martins disse...

Como adorava lê-lo e tê-lo!!!!!