sábado, 3 de maio de 2014

«Quando Nietzsche Chorou», de Irvin D. Yalom

Ano de Publicação 10.ª ed.: 2011
N.º de Páginas: 320

O primeiro romance que o psiquiatra Yalom escreveu foi dado a conhecer aos leitores em 1992 e ele atribuiu-lhe o título When Nietzsche Wept. Esta é a sua obra de ficção mais conhecida do público e foi a única adaptada para filme, em 2007.
A história tem contornos fictícios, mas os seus personagens existiram mesmo e marcaram uma fase importante da História e deixaram um legado fulcral no ramo da Filosofia, Medicina e Psicologia: Friederich Nietzsche, Josef Breuer e Sigmund Freud — os dois primeiros protagonizam a história, que data a capital da Áustria em 1882. Quando encontra-se de férias em Veneza e é abordado por uma jovem e bela mulher solicitando-lhe, desesperadamente, ajuda para tratar um amigo filósofo com tendências suicidas, o dr. Breuer aceita tratar esse caso aparentemente urgente. Muito céptico, Nietzsche é recebido no consultório do conceituado médico, em Viena, e informa que já fora consultado por vários dos médicos mais famosos da Europa, mas nenhum conseguira uma cura para a(s) sua(s) debilitante(s) doença(s) do corpo e da alma. Após várias sessões e ainda muito reticente, o filósofo aceita ser internado durante um mês numa clínica psiquiátrica sob os cuidados do doutor, mas Breuer depois de ter analisado a personalidade obstinada e orgulhosa do paciente, que não dá sinais de querer ser curado, decide fazer um pacto terapeuta-paciente. Assim, com os conselhos do seu amigo Freud, Breuer pede também que o filósofo use do seu conhecimento profundo sobre a condição humana para tratá-lo, pois por dentro da bata branca esconde-se um homem profundamente angustiado. Os dois homens se encontram e compartilham receios, sonhos, desejos, relacionamentos amorosos falhados, e como resultado conhecem o lado mais frágil um do outro mas, fundamentalmente, conhecer-se-ão verdadeiramente a si próprios. Assim, sob a forma de catarse, esses exercícios de auto-consciência dialéticos revelar-se-ão benéficos para a cura, as curas. Um actuou como «médico do corpo», o outro como «médico da mente».
Quando Nietzsche Chorou é um romance atraentemente bem estruturado, bem delineado na veste psicológica e complexa dos dois personagens centrais, transpostos da realidade. Evidencia-se um bom trabalho de pesquisa sobre o enquadramento social, histórico e científico da época narrada. Apesar de Nietzsche e Breuer nunca terem-se cruzado (revela o autor de De Olhos Fixos no Sol nas notas finais do livro), o romance lê-se como se realmente o que Yalom imaginara, tivesse passado na realidade. Há que apontar que neste livro, que vai já na sua 10.ª edição, a revisão deixa a desejar; há variadíssimas falhas na pontuação. Um best-seller como este merece um maior cuidado.

25 comentários:

Timóteo Fernandes disse...

Nunca li nada deste autor. Gostei da crítica.

Maria Manuel Magalhaes disse...

Este é um livro que, desde que saiu, trago debaixo de olho. Vai ser uma das minhas próximas aquisições

Nina Maria Flor disse...

Quer muito ler esse livro já faz algum tempo!

Luciane S. Vieira

Angelina Violante disse...

Já não é a primeira vez que vejo críticas boas em relação a este livro e como tal resolvi trazé-lo da biblioteca para ler.

Gabriel disse...

Nietzsche é o meu filosofo. Eu vi o filme e li o livro. Esta critica está perfeita.

Marta Nunes disse...

Uma boa leitura num futuro próximo

kassie disse...

Adoro este autor, é um dos meus preferidos! Este livro em particular, na minha opinião, é o melhor dele. Um dos livros da minha vida!!

manuel pereira disse...

A minha proxima compra,Adoro livros desse autor

Ana Oliveira disse...

Deve ser interessante esse livro!

samuel p disse...

Excelente autor, bom livro

patricia dias disse...

Sempre adorei Nietzsche:) Deve ser interessante esta obra

Marta Vilão disse...

Adorava ler este!

Joana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joana disse...

Gostei da critica, possivelmente uma minhas próxima leituras.

drughi disse...

Gostei da critica!
Talvez seja um dos proximos a ser lido!

Nuno Antunes disse...

Um livro que adoraria ler! Sou fã do Dr. Irving!

Inês Matos disse...

curiosa para ler este :)

Ovelha Nerd disse...

Achei a critica interessante. Fiquei bastante interessada em ler :)

lady hélène disse...

Tenho muita curiosidade em ler este livro. Já está na minha wishlist! (:

diana henriques disse...

gostava de ler

oana disse...

interessante

Açucena Flor disse...

Excelente autor, adorei o livro!

Tanokx Ferreira disse...

Este livro desperta-me curiosidade, uma vez que fala de Nietzsche :)

Carmen Macedo disse...

Conheci a obra desse autor lendo " A cura de Shopenhauer", desde então quis conhecer outros livros de Irvin D. Yalom. A partir daí o interesse pela filosofia passou a ser, para mim, uma grande fonte de aprendizado.

Seve disse...

Um best-seller como este merece um maior cuidado...

pergunto eu: se tivesse havido mais cuidado seria um best-seller?